Berlusconi parece estar aquém das expectativas em eleição da Itália

quarta-feira, 9 de janeiro de 2013 17:03 BRST
 

Por Barry Moody

ROMA, 9 Jan (Reuters) - Silvio Berlusconi tem poucas chances de desestabilizar um governo de centro-esquerda depois da eleição de fevereiro na Itália, e o primeiro-ministro Mario Monti é quem deve ser o fiel da balança, disse um dos principais especialistas em tendências eleitorais da Itália na quarta-feira.

O cientista político Roberto D'Alimonte, professor da universidade privada Luiss em Roma, disse que o resultado eleitoral mais provável é de um governo de centro-esquerda forte o bastante para governar sozinho ou em uma coalizão com os centristas de Monti.

Essa previsão pode acalmar os investidores, preocupados com o risco de que Berlusconi possa desempenhar um papel sabotador depois da eleição, devolvendo a Itália para o tipo de instabilidade que forçou a sua substituição por Monti em novembro de 2011, quando o país seguia em direção a uma crise do tipo da grega.

A centro-esquerda de Pier Luigi Bersani, que está bem à frente nas pesquisas de opinião, deve ganhar a Câmara dos Deputados. Mas a verdadeira batalha será no Senado, onde as cadeiras são decididas em base regional.

A estratégia de Berlusconi, fortificada por um pacto eleitoral nesta semana com a Liga Norte, é obter cadeiras suficientes no Senado para evitar que Bersani passe leis.

D'Alimonte disse que, no cenário atual, isso é praticamente impossível.

Usando uma pesquisa de opinião da Ipsos publicada na terça-feira de quatro regiões na corrida do Senado, e projeções atualizadas de uma pesquisa anterior, D'Alimonte publicou 10 cenários diferentes no jornal financeiro Sole 24 Ore.

Em apenas um destes cenários Berlusconi poderia desempenhar um papel bloqueador e D'Alimonte disse que isso era altamente improvável.   Continuação...