Acusados de estuprar indiana estavam à caça de vítima, diz polícia

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 12:38 BRST
 

Por Frank Jack Daniel

NOVA DÉLHI, 11 Jan (Reuters) - A gangue acusada do estuprar e assassinar uma estudante de fisioterapia indiana tinha o objetivo de encontrar uma mulher para estuprar e matar, e terminou a noite com sangue nas roupas, disse um relatório da polícia obtido pela Reuters.

Cinco homens, juntamente com um adolescente que alega ser menor de 18 anos, reuniram-se para jantar em uma casa em uma favela no sul de Délhi, na noite de 16 de dezembro, e formularam o plano para encontrar um alvo, de acordo com o dossiê entregue ao tribunal pela acusação.

Os acusados "decidiram antes do tempo" que iriam procurar uma mulher e "pretendiam matá-la", diz o relatório da polícia.

O arquivo, que conta com mais de 600 páginas, contém as provas da acusação sobre o caso, incluindo evidências periciais contra os homens, confissões, declarações de testemunhas e relatórios médicos.

No entanto, os advogados de defesa designados pelo tribunal na quinta-feira disseram que o caso da acusação é marcado por falhas na investigação. A defesa ainda não apresentou sua resposta ao dossiê da acusação.

O tribunal que julga o caso tomou conhecimento do documento da polícia, chamado de folha de acusação, no sábado. Sob a lei indiana, assim que um tribunal toma conhecimento da folha de acusação, ela se torna um registro público.

A quadrilha embarcou em um ônibus que o suposto líder da gangue, Ram Singh, dirigia diariamente para transportar crianças para a escola, e saiu em busca de uma vítima. Eles encontraram a estudante acompanhada por um amigo que estava procurando um transporte para casa depois de assistir ao filme "As Aventuras de Pi" em um shopping, de acordo com o relatório apresentado ao tribunal.

A polícia prendeu Singh no dia seguinte, depois de rastrear o ônibus usando imagens da câmera de segurança de um hotel. Ele ainda estava vestindo uma camiseta manchada com o sangue da vítima e "em interrogatório sustentado", confessou e levou a polícia a seus cúmplices, apontou o relatório da polícia.   Continuação...

 
Manohar Lal Sharma, advogado de um dos acusados no caso de estupro e homicídio de uma estudante indiana, fala com a imprensa em frente ao tribunal distrital em Nova Délhi. A gangue acusada tinha o objetivo de encontrar uma mulher para estuprar e matar, e terminou a noite com sangue nas roupas, disse um relatório da polícia obtido pela Reuters. 10/01/2013 REUTERS/Adnan Abidi