Tunisianos incendeiam delegacias e carros em protesto na fronteira

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013 17:07 BRST
 

TÚNIS, 11 Jan (Reuters) - Centenas de manifestantes tunisianos exigindo empregos e a reabertura da fronteira com a Líbia atearam fogo em delegacias e carros, e a polícia usou gás lacrimogêneo e disparou tiros para o ar a fim de dispersá-los nesta sexta-feira, contou uma testemunha da Reuters.

Os manifestantes em Ben Guerdane querem que a passagem fronteiriça Ras Jedir seja reaberta para que o comércio com a Líbia, do qual a maioria da população depende, possa começar novamente.

Autoridades tunisianas e líbias abriram a passagem brevemente na quinta-feira, mas a fecharam por causa de ameaça à segurança. Os protestos que já duram quatro dias em Ben Guerdane ficaram violentos.

"Os manifestantes queimaram delegacias de polícia na madrugada... agora a polícia está atrás deles e disparando gás lacrimogêneo e tiros para o ar para dispersá-los", disse um fotógrafo da Reuters em Ben Guerdane.

O governo islâmico da Tunísia tem procurado reavivar a economia afetada por uma queda no comércio com a Europa e pelas disputas entres secularistas e islâmicos radicais salafistas sobre as políticas no país norte-africano, o berço da Primavera Árabe.

Dois anos depois da revolução que derrubou Zine Al-Abidine Ben Ali, um número crescente de tunisianos conduzem protestos de rua para exigir empregos e desenvolvimento econômico. No mês passado, confrontos entre manifestantes e a polícia em Siliana, no noroeste do país, feriram mais de 220 pessoas.

Há dois anos, o comerciante de rua Mohamend Bouazizi ateou fogo a si mesmo até a morte em desespero pelo confisco de seu carrinho de frutas em Sidi Bouzid, provocando um levante popular na Tunísia que se espalhou por Egito, Líbia, Iêmen, Síria e Barein.

(Reportagem de Tarek Amara)