Coalizão de Berlusconi lidera pesquisas em região-chave na eleição italiana

domingo, 13 de janeiro de 2013 15:50 BRST
 

SÃO PAULO, 13 Jan (Reuters) - A coalizão de Silvio Berlusconi, de centro-direita, está à frente em uma região vital na batalha eleitoral italiana, o que tornaria mais difícil para os seus rivais de esquerda formarem uma maioria parlamentar estável após a eleição do mês que vem, de acordo com uma pesquisa divulgada neste domingo.

Quem vencer a eleição de 24-25 de fevereiro terá de enfrentar uma profunda recessão e o aumento do desemprego na Itália, a terceira maior economia da zona do euro, bem como manter sob controle as finanças públicas, que estão em situação difícil.

Se os resultados na região da Lombardia, norte do país, foram confirmados, isso poderá aumentar a possibilidade de um acordo pós-eleitoral entre o Partido Democrático (PD), de centro-esquerda, líder nas pesquisas de opinião nacionais, e o grupo centrista do primeiro-ministro Mario Monti, que renunciou ao cargo e agora o ocupa interinamente.

Segundo a pesquisa divulgada neste domingo pelo jornal Corriere della Sera, a aliança do partido Povo da Liberdade (PDL), de Berlusconi, e a Liga Norte, legenda separatista, têm 35,7 por cento de apoio na Lombardia, região onde fica Milão, a capital financeira da Itália.

O bloco de centro-esquerda formada pelo PD, liderado por Pier Luigi Bersani, e seus aliados de esquerda tem 32,3 por cento de apoio, de acordo com pesquisa do respeitado instituto Ispo.

A sondagem é importante porque a Lombardia detém mais assentos no Senado, de 315 membros, do que qualquer outra região italiana, sendo, portanto, uma área-chave para o controle da Casa.

A amarga experiência do último governo de centro-esquerda de Romano Prodi, que entrou em colapso a menos de metade de seu mandato em 2008 por ter perdido a sua frágil maioria no Senado, sublinha a importância da disputa por essas cadeiras.

(Reportagem de James Mackenzie; Reportagem adicional de Catherine Hornby)