Berlusconi se aproxima de líder em pesquisa eleitoral

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 18:37 BRST
 

Por Gavin Jones

ROMA, 14 Jan (Reuters) - A coalizão centro-direitista do ex-premiê Silvio Berlusconi está crescendo rapidamente nas pesquisas, elevando a possibilidade de que a centro-esquerda não consiga formar um governo estável caso confirme seu favoritismo no pleito de fevereiro na Itália.

Uma pesquisa da agência EMG para a TV La7 mostrou que a vantagem da coalizão de centro-esquerda sobre o bloco de Berlusconi caiu de 9,5 para 5,5 pontos percentuais desde dezembro, disse na segunda-feira o diretor da emissora, Enrico Mentana.

Foi a primeira pesquisa do EMG desde a animada participação de Berlusconi em um programa de TV na quinta-feira, que foi visto por 9 milhões de espectadores e teve enorme repercussão midiática no dia seguinte.

Assessores de Berlusconi citaram outra pesquisa, do instituto Euromedia, que coloca a vantagem do bloco centro-esquerdista de Pier Luigi Bersani em apenas 4,5 pontos percentuais.

Berlusconi encomenda pesquisas semanais da Euromedia, da qual ele é cliente há anos. A empresa não divulga os resultados, mas sua diretora, Alessandra Ghisleri, confirmou à Reuters os novos resultados.

Ela disse que a pesquisa foi feita na sexta-feira e sábado passados, e mostrou que o veterano magnata da mídia cresceu 2 a 3 pontos percentuais depois de aparecer durante três horas no talk show.

"Não há dúvida de que há muito mais potencial para que Berlusconi aumente seu apoio entre eleitores que tendem à direita do que há na centro-esquerda para Bersani, cujos apoios parecem ter chegado ao seu pico", disse Ghisleri.

Na maioria das outras pesquisas, a coalizão de centro-esquerda ainda tem folgada vantagem, e parece improvável que o grupo de Berlusconi consiga reverter a tendência até a votação dos dias 24 e 25 de fevereiro.

Os problemas jurídicos de Berlusconi também podem atrapalhar sua candidatura. Depois da realização das pesquisas da EMG e Euromedia, juízes de Milão rejeitaram na segunda-feira um pedido do político para suspender até depois da eleição um processo em que ele é acusado de crime sexual.

(Reportagem adicional de Paolo Biondi, Roberto Landucci e Steve Scherer)