Berlusconi diz que apoiaria Draghi para Presidência da Itália

terça-feira, 15 de janeiro de 2013 12:20 BRST
 

ROMA, 15 Jan (Reuters) - O ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi disse nesta terça-feira que apoiaria o chefe do Banco Central Europeu, Mario Draghi, se fosse indicado para disputar a Presidência do país, possibilidade que foi descartada pelo BCE.

Berlusconi, que vai liderar uma coalizão de centro-direita nas eleições nacionais de fevereiro, disse que o ex-presidente do Banco da Itália (banco central) seria um bom sucessor para o atual chefe de Estado Giorgio Napolitano, que vai deixar o cargo em maio.

"Absolutamente sim, se houver uma maioria que propusesse (Draghi)... eu votaria nele", disse Berlusconi em entrevista a um programa de TV.

Em Frankfurt, o BCE disse que Draghi está comprometido em cumprir seu mandato à frente do banco.

"O mandato de Mario Draghi como presidente do BCE é de oito anos até 31 de outubro de 2018. Ele está comprometido a cumprir seu mandato por completo", disse um porta-voz do banco.

Berlusconi, cuja coalizão está se aproximando nas pesquisas dos rivais de centro-esquerda, disse anteriormente que tinha um candidato em mente para ser o próximo presidente que seria aceito pela esquerda, mas não revelou o nome.

Draghi, que é amplamente respeitado na Itália, sucedeu Jean-Claude Trichet como chefe do BCE em 2011.

O próximo presidente da Itália será escolhido após as eleições, que acontecem em 24 e 25 de fevereiro.

O presidente é escolhido para um mandato de sete anos em uma sessão conjunta das duas Casas do Parlamento, junto com representantes das 20 regiões.

(Reportagem de James Mackenzie e Paul Carrel em Frankfurt)

 
Premiê italiano, Mario Monti, aparece como convidado no programa Porta a Porta do canal RAI, em Roma. Berlusconi disse que apoiaria o chefe do Banco Central Europeu, Mario Draghi, se fosse indicado para disputar a Presidência do país. 14/01/2013 REUTERS/Alessandro Bianchi