Apartamento onde assassino de Kennedy morreu é demolido em Dallas

terça-feira, 15 de janeiro de 2013 14:35 BRST
 

Por Marice Richter

DALLAS, 15 Jan (Reuters) - A cidade de Dallas demoliu na segunda-feira um prédio de dois andares em ruínas onde Lee Harvey Oswald tinha vivido brevemente antes de assassinar o ex-presidente norte-americano John F. Kennedy, em novembro de 1963.

Oswald, sua esposa Marina e a filha do casal moraram no prédio de novembro de 1962 a março de 1963.

A demolição seguiu uma disputa de quatro anos entre a cidade, e a proprietária Jane Bryant, que comprou o prédio em 2007 com o objetivo de renová-lo e preservá-lo por razões históricas. Bryant foi processada em 2008 pela deterioração do complexo construído em 1925.

Ela não cumpriu o prazo para fazer reparos que colocariam o prédio nos padrões da cidade, e um juiz ordenou a demolição. Bryant não pôde ser contatada para comentar o assunto.

A Comissão Warren, que investigou o assassinato de Kennedy, incluiu o apartamento em uma cronologia da vida de Oswald como parte de seu relatório que concluiu que Oswald tinha agido como um atirador solitário ao assassinar o presidente.

Gary Mack, curador do Sixth Floor Museum, que narra o assassinato e o legado de Kennedy, disse que o apartamento tinha pouca importância.

"O apartamento foi onde Oswald viveu quando ele encomendou o revólver que usou para matar o oficial da polícia de Dallas J.D. Tippit 10 meses depois", afirmou Mack.

Tippit estava em patrulha quando ele parou Oswald em Oak Cliff, a uma curta distância do centro de Dallas onde Kennedy foi baleado durante uma carreata. Oswald atirou em Tippit e foi preso a alguns quarteirões de distância logo em seguida.

Mack disse que Oswald tinha encomendado o rifle que investigadores descobriram ter sido usado para matar Kennedy 10 dias depois que a família se mudou do apartamento.