Soldados de Israel matam jovem palestino na Cisjordânia

terça-feira, 15 de janeiro de 2013 18:23 BRST
 

BUDRUS, Cisjordânia, 15 Jan (Reuters) - Soldados israelenses mataram nesta terça-feira um palestino de 17 anos perto da aldeia de Budrus, na Cisjordânia ocupada, segundo testemunhas e fontes médicas palestinas.

Outro garoto foi ferido a bala pelos soldados em uma aldeia próxima, segundo os palestinos, mas os militares de Israel disseram desconhecer esse incidente.

A violência se intensificou no território palestino desde que Israel anunciou, no fim de 2012, que pretende ampliar seus assentamentos, enquanto os palestinos receberam um reconhecimento extraoficial do seu Estado na Organização das Nações Unidas (ONU).

Sameer Awad foi o segundo palestino morto por soldados israelenses em quatro dias na Cisjordânia, onde nos últimos anos poucos confrontos resultavam em vítimas fatais.

Budrus, ao norte de Ramallah, é vizinha à barreira que Israel diz ter construído para evitar a entrada de militantes suicidas em seu território. A barreira, um conjunto de cercas e muros, avançando em muitos pontos sobre áreas ocupadas, habitualmente atrai manifestantes palestinos.

Colegas de Awad disseram que ele ia de ônibus para a escola quando começou um confronto entre manifestantes e soldados israelenses que patrulham a barreira. Não ficou claro se o adolescente foi atingido dentro do ônibus, ou se as pessoas no ônibus haviam participado do protesto.

Uma porta-voz militar de Israel disse que vários palestinos se aproximaram da cerca nos arredores de Budrus e a danificaram na tentativa de entrar em Israel. "Os soldados no local reagiram imediatamente a fim de proteger a área e impedir a infiltração", disse ela.

Novos confrontos ocorreram mais tarde no funeral de Awad, quando rapazes apedrejaram soldados israelenses, que reagiram com gás lacrimogêneo e balas de borracha.

Na vizinha localidade de Deir Nidham, paramédicos palestinos disseram que soldados israelenses balearam um menino palestino, que foi levado a um hospital de Israel. Uma fonte local disse que o menino se chama Yazan e tem 12 ou 13 anos.   Continuação...