Tropas de paz matam 5 crianças em cidade na Somália, dizem moradores

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013 15:51 BRST
 

MOGADÍSCIO, 17 Jan (Reuters) - Tropas de paz da União Africana, que tentavam expulsar rebeldes islamistas da região de Baixa Shabelle da Somália, mataram a tiros pelo menos sete civis em uma cidade remota, incluindo cinco crianças que estudavam o Alcorão, disseram moradores nesta quinta-feira.

A força de manutenção da paz disse que estava investigando um incidente em que civis podem ter sido pegos no fogo cruzado enquanto os soldados repeliam um ataque rebelde em uma posição defensiva na cidade de Leggo.

"Relatos iniciais indicam que alguns civis, inclusive crianças, foram mortos e outros foram hospitalizados com ferimentos de balas", dizia o comunicado, acrescentando que estava "estabelecendo os fatos e as circunstâncias ao redor deste trágico incidente."

Moradores de Leggo disseram que os soldados abriram fogo contra barracos na madrugada de terça-feira e que não houve troca de tiros entre os soldados e os rebeldes na hora.

"As forças da UA abriram fogo indiscriminadamente contra nossas casas", disse nesta quinta-feira Yusuf Omar, que levou seus dois sobrinhos feridos para a capital Mogadíscio, a cerca de 130 quilômetros.

Omar disse que oito pessoas foram mortas no incidente. Um membro do Parlamento para a região disse que o número de mortos foi sete. Ambos disseram que cinco crianças morreram.

Sabdow Nur, um ancião de Leggo, disse que era possível que as tropas da UA tivessem confundido as casas com um campo rebelde.

"As forças da UA... chegaram nos barracos e abriram fogo", disse. "Eram cerca de 6 da manhã. As crianças estavam aprendendo o Alcorão. Eles também mataram camelos e cabras."

O incidente pode prejudicar a posição da força de paz, conhecida como Amisom, na Somália, onde ela é relativamente popular, principalmente em Mogadíscio e outras áreas urbanas que ajudou a recuperar dos militantes ligados à Al Qaeda.

(Reportagem de Abdi Sheikh)