Crise na Argélia parece se aproximar de fim dramático, diz Hollande

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013 18:05 BRST
 

PARIS, 17 Jan (Reuters) - A crise dos reféns na Argélia parece se aproximar de um final dramático, disse nesta quinta-feira o presidente da França, François Hollande, acrescentando que os fatos ocorridos numa usina de gás do Saara mostram o acerto de sua decisão de combater militantes islâmicos no Mali.

Pelo menos 25 reféns estrangeiros fugiram e seis foram mortos nesta quinta-feira, quando forças argelinas iniciaram uma operação para libertá-los, segundo fontes do país.

"Tudo isso parece estar se encaminhando para um final em condições dramáticas", disse Hollande no início de um discurso a líderes empresariais. "O que está acontecendo na Argélia justifica ainda mais a decisão que tomei em nome da França de intervir no Mali, conforme a Carta da ONU."

Ele ressalvou que ainda não possuía informações suficientes para fazer uma análise adequada da situação.

Aviões franceses começaram na semana passada a bombardear rebeldes que avançavam rumo à capital do Mali, Bamako. Paris mobilizou tropas terrestres para sua ex-colônia africana, mas disse que espera entregar a liderança da campanha às forças da Ecowas (bloco regional da África Ocidental).

"Trata-se de conter uma agressão terrorista e permitir que os africanos se mobilizem para restaurar a integridade territorial do Mali", afirmou.

Os autores do sequestro na Argélia disseram ter agido em retaliação contra a intervenção francesa no país vizinho.

(Reportagem de Brian Love)