Oposição síria faz nova proposta para governo de transição

sábado, 19 de janeiro de 2013 15:42 BRST
 

ISTAMBUL, 19 Jan (Reuters) - Os líderes da oposição síria lançaram, neste sábado, sua segunda oferta para formar um governo de transição, com sua credibilidade em jogo enquanto o país afunda em uma guerra civil.

Um acordo com a Coalizão Nacional, um grupo da oposição na Síria, poderia ajudar a conter a preocupação internacional sobre os riscos do país se desintegrar em meio a linhas étnicas e sectárias se o presidente Bashar al-Assad cair.

Um fracasso nas negociações, conduzidas em um hotel de Istambul, destacaria as divisões na coalizão, formada no Catar há dois meses com apoio ocidental e do Golfo.

O líder da oposição Kamal al-Labwani, um membro da coalizão, disse que o grupo precisa, ao menos, indicar um primeiro-ministro para manter a credibilidade como uma alternativa democrática às quatro décadas de domínio familiar do país, de Assad e de seu pai, o ex-presidente Hafez al-Assad, já falecido.

"A coalizão é uma legislatura, e nós precisamos de um executivo. Houve muitos erros e todas as pessoas que nós devíamos representar se sentiram marginalizadas", disse Labwani, uma das figuras liberais da coalizão liderada por islâmicos.

As Nações Unidas disseram que 60 mil pessoas foram mortas no conflito sírio que já dura 22 meses.

(Por Khaled Yacoub Oweis)

 
Líderes da oposição síria lançaram nova proposta de governo de transição para pôr fim à guerra civil que já deixou 60 mil mortos em 22 meses de conflito. 19/01/2013 REUTERS/Goran Tomasevic