Obama surpreende ao citar clima como prioridade no 2º mandato

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013 20:38 BRST
 

Por Patrick Rucker

WASHINGTON, 21 Jan (Reuters) - O presidente dos EUA, Barack Obama, causou surpresa ao dizer na segunda-feira que o combate à mudança climática estará entre as prioridades do seu segundo mandato, junto com o controle de armas e a reforma da imigração.

Estabelecendo uma associação entre as alterações climáticas e devastadores fenômenos climáticos e incêndios recentes, Obama disse que os EUA podem se proteger disso sem abrir mão do crescimento econômico.

"Vamos reagir à ameaça da mudança climática, sabendo que o fracasso em fazê-lo seria uma traição aos nossos filhos e às futuras gerações", disse Obama, que dedicou a esse tema mais de um minuto do seu discurso de posse, que teve cerca de 20 minutos.

Nos primeiros quatro anos de mandato, Obama obteve resultados desiguais na luta contra o aquecimento global. Por um lado, ele convenceu o setor automobilístico a tornar os veículos menos poluentes nos próximos anos; por outro, um plano abrangente para precificar as emissões de gases do efeito estufa ficou parado no Congresso.

Depois de uma campanha eleitoral em que o tema climático foi praticamente ignorado, Obama disse no discurso de posse da segunda-feira que os EUA precisam ser um líder mundial em energias sustentáveis, e tratou desse assunto como uma questão de segurança nacional e de oportunidade econômica.

"Não podemos ceder a outras nações a tecnologia que irá alimentar novos empregos e novas indústrias - devemos pleitear sua promessa", afirmou ele. "Alguns ainda podem negar o avassalador julgamento da ciência , mas ninguém consegue evitar o devastador impacto dos incêndios descontrolados, das secas paralisantes e das tempestades mais poderosas", disse Obama.

Ativistas climáticos se disseram animados com o discurso presidencial.

"Minha esperança está renovada", disse em nota Larry Schweiger, presidente da Federação Nacional da Vida Selvagem. "Confrontar a mudança climática não é uma causa de um presidente ou de um partido, mas um imperativo para o povo norte-americano."   Continuação...