Rebeldes enfrentam curdos no nordeste sírio, dizem ativistas

terça-feira, 22 de janeiro de 2013 11:26 BRST
 

BEIRUTE, 22 Jan (Reuters) - Pelo menos 56 pessoas já morreram em uma semana de confrontos entre combatentes rebeldes e membros da minoria curda no nordeste da Síria, disseram ativistas na terça-feira.

Os rebeldes há quase dois anos lutam para derrubar o regime do presidente Bashar al Assad, e os curdos, há décadas reprimidos por Damasco, tentam aproveitar a guerra civil para conquistar autonomia.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos, que funciona na Grã-Bretanha e compila relatos de ativistas na Síria a respeito da violência no país, disse na terça-feira que os rebeldes anti-Assad estão usando tanques e morteiros contra as forças curdas.

Enquanto os rebeldes sufocam as forças governamentais e oeste e ao sul, os curdos, que compõem cerca de 10 por cento da população síria, aproveitam o vácuo para montar escolas e centros culturais em sua língua, além de instituir corpos policiais e milícias armadas.

Mas eles veem com desconfiança os grupos rebeldes, compostos principalmente por membros da maioria árabe sunita, e com crescente presença de militantes islâmicos.

Na terça-feira, combatentes das Unidades de Defesa do Povo Curdo confrontaram vários grupos rebeldes na cidade de Ras Al Ain, na província de Hasaka (norte da Síria), segundo o Observatório.

 
Rebeldes sírios se protegem durante combate com forças leais ao ditador Bashar al-Assad, próximo a Damasco. 21/01/2013. REUTERS/Goran Tomasevic