Não haverá paz na Síria a menos que a oposição negocie com Assad, diz Rússia

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013 09:40 BRST
 

MOSCOU, 23 Jan (Reuters) - O ministro de Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, disse na quarta-feira que não pode haver uma resolução pacífica para o conflito na Síria enquanto os opositores ao presidente Bashar al-Assad exigirem sua saída do poder e se recusarem a negociar com seu governo.

Os comentários de Lavrov durante uma coletiva de imprensa anual não mostraram nenhuma mudança na posição da Rússia, que diz que a saída de Assad não pode ser uma pré-condição para um acordo para encerrar os 22 meses de violência em que mais de 60.000 pessoas foram mortas.

"Tudo vai de encontro com a obsessão dos membros da oposição com a ideia de depor o regime de Assad. Enquanto esta posição irreconciliável continuar em vigor, nada bom acontecerá, a ação armada continuará, pessoas irão morrer", disse Lavrov.

A Rússia tem sido o protetor mais poderoso de Assad durante o conflito violento que começou como uma repressão a manifestantes, mas escalou para uma guerra civil. O país vetou três resoluções do Conselho de Segurança da ONU com o objetivo de forçar a saída de Assad ou de pressionar para que acabasse com o derramamento de sangue.

A Rússia retirou 77 de seus cidadãos que tentavam fugir da violência síria em direção a Moscou pelo Líbano na quarta-feira, mas Lavrov disse que a situação na Síria não exige uma retirada em massa de cidadãos russos.

(Reportagem de Timothy Heritage)

 
Ministro das Relações Exteriores russo, Sergei Lavrov, fala durante coletiva de imprensa anual, em Moscou. 23/01/2013 REUTERS/Sergei Karpukhin