Farc veem "coincidências" com governo colombiano em setor agrícola

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013 17:41 BRST
 

Por Rosa Tania Valdés

HAVANA, 23 Jan (Reuters) - As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) disseram na quarta-feira que encontraram "coincidências" com o governo ao analisarem a pobreza vivida pelo setor agrícola no país andino, a primeira questão levantada pelo diálogo de paz que busca acabar com 50 anos de conflito armado.

A mesa para negociar a paz entre o grupo rebelde e o governo foi instalada há dois meses e a agenda tem, além da reforma agrária, temas como garantias para o exercício da política, o fim do conflito, solução do narcotráfico e indenização às vítimas da guerrilha.

Até agora, ambas as partes têm oferecido pouca informação sobre o andamento do processo, argumentando que a falta de discrição frustrou tentativas similares no passado.

"Houve coincidências (com o governo) na análise da situação difícil vivida no campo, da pobreza, da desigualdade tão terrível", disse a jornalistas o comandante Iván Márquez, chefe da equipe de negociação das Farc.

"Nós concordamos com o governo que é urgente, necessário, desenvolver políticas por parte do Estado para resolver esta situação, apoiar o camponês por tanto tempo esquecido", afirmou Márquez antes de entrar num centro de convenções onde as partes se reúnem desde novembro, em Havana.

As Farc têm revelado nos últimos dias 10 propostas para o desenvolvimento agrícola e rural, incluindo controles mais rígidos e regulamentos sobre mineração e petróleo.

Um acordo de paz daria um impulso adicional para a quarta maior economia da América Latina, que cresce de forma constante há anos devido a um forte consumo doméstico e a investimentos no setor de petróleo e mineração.

Apesar de o grupo rebelde ter se enfraquecido nos últimos 10 anos pela ofensiva do governo apoiado pelos Estados Unidos - que reduziu à metade suas forças, para cerca de 9.000 combatentes, e afastou seus principais líderes - ele ainda mantém capacidade para ataques de alto impacto.

O grupo guerrilheiro, que encerrou no fim de semana o cessar-fogo unilateral decretado no início das negociações de paz, efetuou ataques na terça-feira contra o setor de petróleo e carvão.

Governo e Farc vão conceder na quinta-feira uma conferência de imprensa em Havana.