Austrália deve se apressar para defender corais, dizem ambientalistas

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013 11:18 BRST
 

SYDNEY, 24 Jan (Reuters) - A Austrália precisa agir urgentemente para proteger sua Grande Barreira de Corais e evitar que ela seja colocada pela Unesco, até o começo de fevereiro, na lista de patrimônios mundiais ameaçados, segundo ambientalistas.

Considerada uma das sete maravilhas naturais do mundo, a região abriga 400 tipos de coral, 240 espécies de aves e 1.500 espécies de peixes. O turismo nessa área gera um faturamento anual de 6 bilhões de dólares australianos.

A Unesco alertou em junho à Austrália sobre as ameaças decorrentes do desenvolvimento industrial na costa do Estado de Queensland, e a ONU disse que pode colocar a área na sua lista de patrimônio "em perigo" se providências não forem tomadas até 1o de fevereiro.

"O bem ambiental mais importante da Austrália está sob séria ameaça da industrialização existente e proposta na costa de Queensland", disse na quarta-feira Felicity Wishart, diretora de campanhas de uma coalizão composta pelo WWF Australia e pela Sociedade Australiana de Conservação Marinha.

O carvão é um dos principais produtos de exportação da Austrália, e Queensland é o maior produtor de carvão do país. O coral está sob crescente ameaça da navegação motivada por esses projetos.

 
Imagem de divulgação de corais da Grande Barreira de Corais, na Austrália, em janeiro de 2002. REUTERS/Divulgação