Referendos na Escócia e na Catalunha podem redesenhar a Europa?

terça-feira, 29 de janeiro de 2013 15:43 BRST
 

Por Peter Apps

BARCELONA, Espanha, 29 Jan (Reuters) - A bandeira separatista da Catalunha, com suas listras amarelas e vermelhas, triângulo azul e uma estrela branca, era uma visão rara nas ruas de Barcelona há uma década. Agora, é quase onipresente.

Dois mil quilômetros para o norte, na Escócia, a bandeira azul-e-branca sempre foi popular. Mas essa bandeira também simboliza cada vez mais algo novo, que depois de mais de 400 anos na Grã-Bretanha, a Escócia pode estar à beira de exigir um divórcio.

Com o foco no risco de a zona do euro se romper, alguns suspeitam que esta década poderá ser lembrada como o momento em que dois dos Estados mais permanentes da Europa começaram a se dividir.

Partidos pró-independência da Escócia e da Catalunha estão se preparando para referendos no próximo ano que eles esperam que poderá resultar em separação das suas regiões para sempre, o que alguns analistas suspeitam que pode encorajar outros na Europa a seguir o exemplo.

Existem diferenças consideráveis entre as duas regiões.

A Escócia tem sido sempre referida como um "país" separado dentro da Grã-Bretanha, enquanto as reivindicações da Catalunha para se autogovernar estão enraizadas na história da Idade Média.

O governo do primeiro-ministro britânico, David Cameron, concordou em cooperar com o referendo escocês em 2014, embora esteja fazendo campanha vigorosa contra qualquer divisão.

Em contraste, Madri declarou que irá lutar contra um referendo catalão por razões constitucionais. Os partidos separatistas que funcionam na região estão ansiosos para avançar de qualquer maneira e se equiparar à Escócia, com uma votação em 2014.   Continuação...

 
Pessoas levantam as bandeiras da Espanha e da Catalunha em frente ao parlamento catalão em Barcelona, Espanha. 23/01/2013 REUTERS/Albert Gea