Irã diz estar aberto a conversações diretas com EUA na questão nuclear

domingo, 3 de fevereiro de 2013 17:02 BRST
 

Por Adrian Croft e Alexandra Hudson

MUNIQUE, 3 Fev (Reuters) - O Irã anunciou neste domingo que está aberto a uma proposta dos Estados Unidos de conversações diretas sobre seu programa nuclear e que seis potências mundiais sugeriram uma nova rodada de negociações nucleares neste mês, mas sem se comprometer com alguma proposta.

Os esforços diplomáticos para resolver a disputa sobre o programa nuclear -- que o governo iraniano diz ser pacífico, mas o Ocidente suspeita que se destina a dar ao país a capacidade de fabricar uma bomba nuclear -- têm permanecido em impasse há anos, ao mesmo tempo em que o Irã continua a anunciar avanços em seu programa.

O ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Ali Akbar Salehi, considerou "um passo à frente" a sugestão feita no sábado pelo vice-presidente dos EUA, Joe Biden, de que o governo norte-americano está pronto para conversações diretas com o Irã se os iranianos estiverem falando sério sobre as negociações.

"Nós recebemos essas declarações de modo positivo. Acho que este é um passo à frente mas ... mas todas as vezes que viemos e negociamos, foi o outro lado, infelizmente, que não manteve ... o seu compromisso", disse Salehi, na Conferência de Segurança de Munique, na qual Biden se pronunciou no dia anterior.

Em declarações à emissora de TV iraniana que transmite em inglês, Salehi também se queixou de "sinais contraditórios", apontando para a retórica dos EUA de "manter todas as opções sobre a mesa", usada por autoridades norte-americanas para indicar que eles estão dispostos a usar a força para impedir que o Irã consiga fabricar uma arma nuclear.

"Isso não combina com esse gesto (de negociações), por isso vamos ter de esperar um pouco mais e ver se eles são realmente dignos de crédito desta vez", declarou Salehi.

O Irã é alvo de duras sanções. Israel também deixou claro que pode atacar o país se as sanções e a diplomacia internacional não impedirem o avanço nuclear iraniano.

Em Washington, o general do Exército Martin Dempsey, o oficial no posto mais elevado na hierarquia militar dos EUA, disse em uma entrevista transmitida neste domingo que os Estados Unidos têm a capacidade de impedir qualquer esforço iraniano para fabricar armas nucleares, mas as "intenções iranianas têm que ser influenciadas por outros meios".   Continuação...