Aviação francesa bombardeia redutos de islamistas no norte do Mali

domingo, 3 de fevereiro de 2013 18:19 BRST
 

PARIS/BAMACO, 3 Fev (Reuters) - Aviões de guerra franceses bombardearam acampamentos de rebeldes islamistas no extremo norte do Mali, neste domingo, disseram fontes militares, um dia depois de o presidente francês, François Hollande, ter sido recebido como um salvador durante uma visita ao país, situado no oeste africano.

O porta-voz do Exército da França em Paris, Thierry Burkhard, disse que os ataques noturnos tiveram como alvo bases logísticas e campos de treinamento usados ​​pelos rebeldes ligados à rede Al Qaeda, nos arredores da cidade de Tessalit, perto da fronteira com a Argélia.

"Estes foram ataques aéreos importantes", afirmou Burkhard à Reuters.

A cidade de Tessalit, situada cerca de 200 quilômetros ao norte de Kidal, capital regional, é um dos principais acessos às montanhas de Adrar des Ifoghas ,onde os rebeldes se refugiaram depois de fugir de grandes cidades.

A França afirma que os rebeldes mantêm nessas montanhas sete de seus cidadãos feitos reféns, capturados nos últimos anos na região do Saara.

Fontes militares do Mali disseram que as tropas francesas e do Chade entraram em choque com membros do grupo militante Ansar Dine, na região ao redor de Kidal, no sábado.

Helicópteros de ataque franceses e aviões de transporte que levam forças especiais deixaram a cidade de Gao para reforçar o contingente francês e do Chade estacionado no aeroporto de Kidal.

A cidade de Kidal está sob o controle do grupo rebelde MNLA, da etnia tuaregue, o qual luta pela autonomia da região e ocupou a área depois que combatentes do Ansar Dine fugiram, seis dias atrás.

A França deslocou há três semanas para o Mali 3.500 soldados, aviões de combate e veículos blindados na operação Serval, que pôs fim a dez meses de controle de cidades do norte do país por rebeldes islamistas que impuseram, por meio da violência, a aplicação da Sharia (lei religiosa muçulmana).   Continuação...