FBI usou câmera para monitorar sequestrador no Alabama, diz mídia

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013 19:56 BRST
 

MIDLAND CITY, Estados Unidos, 5 Fev (Reuters) - As autoridades dos EUA usaram uma câmera oculta para observar um homem que manteve um menino como refém por quase uma semana em um porão fortificado do Alabama e decidiram intervir quando notaram que o sequestrador portava uma arma e parecia agitado, segundo reportagens.

O caso começou quando Jimmmy Lee Dykes, de 65 anos, matou o motorista de um ônibus escolar e capturou o menino, que foi identificado apenas como Ethan e completa 6 anos na quarta-feira. Dykes foi morto por policiais na segunda-feira e Ethan foi resgatado ileso, segundo autoridades.

"Ele está rindo, brincando, comendo", disse Steve Richardson, agente especial do FBI.

As autoridades divulgaram poucos detalhes sobre as negociações com Dykes e sobre a decisão de invadir o bunker da propriedade rural dele, nos arredores de Midland City, no canto sudeste do Alabama.

Em entrevista coletiva na segunda-feira, Richardson disse que as negociações se deterioraram nas 24 horas que antecederam o resgate.

A Rádio Pública Nacional noticiou que Dykes era observado por uma câmera que a polícia conseguiu infiltrar no porão. Dykes inicialmente atendia às necessidades do menino e parecia dormir pacificamente, mas depois pareceu estar agitado e ignorava a criança, segundo fontes que falaram à emissora.

Para preparar o resgate, agentes do FBI treinaram usando uma réplica do bunker montada perto do local, segundo apurou a ABC News junto a fontes não identificadas.

Uma fonte policial local disse à Reuters que uma bomba de efeito moral foi detonada antes que os agentes matassem Dykes.

(Por Verna Gates, com reportagem adicional de Tom Brown e David Adams)