Ministra da Educação da Alemanha renuncia após acusações de plágio

sábado, 9 de fevereiro de 2013 14:35 BRST
 

Por Annika Breidthardt

BERLIM, 9 Fev (Reuters) - A ministra da Educação da Alemanha, Annette Schavan, renunciou neste sábado depois de ter perdido seu doutorado sobre acusações de plágio, um estorvo para sua confidente e chanceler Angela Merkel, que está em campanha para ganhar um terceiro mandato este ano.

A renúncia veio quatro dias depois de a Universidade de Duesseldorf denunciar que Annette havia "sistemática e intencionalmente" copiado partes de sua tese de doutorado e retirou seu título Ph.D mais de 30 anos depois que foi concedido.

Foi a segunda vez em dois anos que Merkel perdeu um ministro em um escândalo sobre farsas acadêmicas. Karl-Theodor zu Guttenberg renunciou como ministro da Defesa em 2011 após ser exposto por plagiar sua tese, comportamento que Annette condenou, na época, como "vergonhoso".

A chanceler, que raramente demonstra suas emoções, dedicou a Annette um sorriso consolador numa coletiva de imprensa em que disse a jornalistas: "Eu aceito essa renúncia com peso no coração".

A saída de Annette não deve enfraquecer as chances de Merkel de conquistar um terceiro mandato em eleições em 22 de setembro. O Partido Democrata Cristão regularmente pontua acima de 40 por cento pesquisas, o que lhe concede uma liderança fácil contra o principal partido de oposição, o Partido Social Democrata.

Mas perder sua principal confidente ainda é um golpe para a líder alemã, e a força a fazer sua quinta alteração no gabinete no atual mandato de quatro anos ao trazer Johanna Wanka, uma ex-ministra da Educação em dois estados alemães, para substituir Annette.

 
A chanceler alemã, Angela Merkel (direita), e a ministra da Educação, Annette Schavan, comparecem a um pronunciamento à imprensa em Berlim, Alemanha. 9/02/2013