Escândalo da carne de cavalo na UE pode levar a testes mais rigorosos

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013 21:25 BRST
 

Por Charlie Zhu e Adrian Croft

BRUXELAS, 13 Fev (Reuters) - A Comissão Europeia propôs um aumento nos testes de DNA de produtos à base de carnes para avaliar a escala do escândalo envolvendo carne de cavalo sendo vendida como carne bovina que chocou a população e levantou suspeitas quanto à segurança da cadeia alimentar no continente.

"Os testes serão no DNA dos produtos de carne em todos os países-membros", disse o comissário para Saúde da União Europeia, Tonio Borg, a repórteres depois de reunião ministerial em Bruxelas para discutir o assunto.

O plano inicial de um mês de testes deve incluir áreas onde a carne de cavalo é manuseada para checar se resíduos de remédios utilizados em cavalos potencialmente danosos à saúde entraram na cadeia alimentar, disse Borg, com os primeiros resultados esperados para meados de abril.

O escândalo irrompeu quando testes realizados na Irlanda revelaram que a carne encontrada em produtos rotulados como sendo de carne bovina eram, na verdade, 100 por cento de cavalo.

Operadores em ao menos 8 países europeus já foram envolvidos no caso até o momento, levantando temores de uma fraude em toda a Europa.

Autoridades disseram que nenhum risco à saúde pública nos produtos alimentares foram identificados neste estágio, mas que testes para remédios equinos na carne estão sendo realizados.

"Isso está impactando a integridade da cadeia alimentar, que é realmente significativa para muitos países. Agora que nós sabemos que isso é um problema europeu, precisamos de uma solução europeia", disse o ministro da Agricultura da Irlanda, Simon Coveney, antes do encontro.

O comissário europeu disse que a comissão poderá acelerar possíveis mudanças nas regras de rotulagem que forçariam companhias a identificar o país de origem nos produtos de carne processada.   Continuação...