15 de Fevereiro de 2013 / às 16:28 / 5 anos atrás

Venezuela mostra fotos de Chávez, que segue com problema respiratório

Presidente da Venezuela, Hugo Chávez, segura jornal em recuperação de cirurgia em Havana, Cuba. Chávez segue com problemas respiratórios em consequência de uma operação contra o câncer a qual foi submetido há mais de dois meses em Cuba, anunciou nesta sexta-feira o governo da Venezuela, que também divulgou as primeiras fotos de Chávez desde a operação. 14/02/2013 REUTERS/Ministry of Information/Divulgação

CARACAS, 15 Fev (Reuters) - O governo venezuelano mostrou nesta sexta-feira fotos do presidente Hugo Chávez sorridente e deitado em uma cama de hospital, nas primeiras imagens após 65 dias de sua viagem a Cuba para operar um câncer, mas disse que o mandatário respira com ajuda de uma cânula traqueal.

Chávez, que nas duas fotografias, segundo o governo, tiradas na noite de quinta-feira, aparece lendo um jornal cubano junto a duas de suas filhas, continua lidando com persistentes dificuldades pós-operatórias que motivaram uma traqueostomia que o impede de falar com fluidez.

As autoridades se limitaram a dizer que o paciente segue recebendo um “enérgico” tratamento para combater a doença, sem detalhar a evolução do câncer diagnosticado em meados de 2011.

“A infecção respiratória surgida no curso do pós-operatório foi controlada, ainda que persista um certo grau de insuficiência. Dada esta circunstância, que está sendo tratada, no momento o comandante apresenta respiração através de cânula traqueal, o que dificulta temporariamente a fala”, disse o ministro da Comunicação, Ernesto Villegas, lendo um comunicado.

As fotos, a primeira prova de vida de Chávez após seu longo silêncio, mostram o presidente de 58 anos inchado, vestido com roupa esportiva e deitado sobre uma cama do Cimeq, o hospital onde está internado em Havana, acompanhado de suas filhas María Gabriela e Rosa Virginia.

Nas imagens não é possível ver o pescoço de Chávez para constatar a presença da cânula, um tubo que se coloca no paciente através de uma abertura criada mediante traqueostomia para permitir uma respiração adequada.

O ministro de Ciência e Tecnologia e genro do presidente, Jorge Arreaza, garantiu, contudo, que Chávez está em “comunicação” com sua equipe de governo.

“Não apenas está vivo, toma decisões... tem dificuldade para se comunicar verbalmente, contudo, se faz entender”, disse ele, para logo detalhar que o presidente escreve a maior parte de suas mensagens.

Arreaza disse que o presidente passa os dias lendo e ouvindo música venezuelana tradicional, enquanto compartilha o tempo com funcionários e familiares que o acompanham.

A liberação das imagens acontece dois dias depois de o vice-presidente do país, Nicolas Maduro, dizer que Chávez estava recebendo tratamentos complementares “duros” e “complexos”.

Em seu discurso, menos otimista do que os anteriores sobre a saúde do presidente, Maduro não ofereceu mais detalhes, o que voltou a alimentar rumores sobre a condição real de Chávez.

O líder socialista não se apresentou em 10 de janeiro para o juramento ao novo mandato para o qual foi eleito em outubro, mas as autoridades a cargo do país em sua ausência têm insistido que ele retornará quando estiver recuperado da cirurgia.

PROVA DE VIDA

A publicação das fotos coincide com uma crescente pressão da oposição e de setores da sociedade pedindo uma prova de vida do governante.

Henrique Capriles, candidato da oposição que desafiou Chávez nas eleições presidenciais de outubro, insistiu na quinta-feira que se o presidente assina decretos, ele deveria falar ao país.

“Há alguns dias, os mentirosos diziam que falavam com o presidente, agora dizem que não pode falar! Enganam o seu próprio povo”, Capriles publicou no Twitter após a divulgação das imagens nesta sexta-feira.

O vice-presidente Maduro reagiu e qualificou Capriles de amargurado.

“Tem seu coração tão ruim, tão ruim o perdedor, que ele fica com raiva que o presidente Chávez esteja bem”, disse.

Entre as pressões para que o governo dê todas as informações sobre a saúde de seu líder, um grupo de estudantes universitários tentou na quinta-feira chegar à embaixada de Cuba em Caracas para entregar uma carta pedindo um sinal de vida de Chávez.

Mas a polícia impediu a entrada do grupo e, desde então, os membros estão acorrentados em frente à embaixada. Nesta sexta-feira, mais quatro jovens se juntaram aos 20 integrantes iniciais do grupo.

Maduro responsabilizou Capriles se a segurança do local for comprometida e lembrou que o político de oposição foi preso depois de um incidente confuso na embaixada em 2002, durante um breve golpe de Estado contra Chávez.

Capriles insiste no fato de que a sua participação foi mediar um grupo que buscava invadir a embaixada, mas o então embaixador cubano o acusou de pular o muro da embaixada e inspecionar o lugar.

Reportagem de Marianna Párraga e Mario Naranjo

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below