EXCLUSIVO-Potências vão propor alívio a sanções em negociação nuclear com Irã

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013 16:05 BRST
 

WASHINGTON, 15 Fev (Reuters) - As grandes potências planejam aliviar as sanções que impedem o comércio em ouro e outros metais preciosos com o Irã em troca de medidas iranianas para fechar a recém-expandida usina de enriquecimento de urânio Fordow da nação, disseram autoridades ocidentais nesta sexta-feira.

As autoridades disseram que a oferta será apresentada ao Irã em negociações em 26 de fevereiro em Almaty, no Cazaquistão, e reconheceram que representa uma atualização relativamente modesta a propostas que as seis grandes potências apresentaram no ano passado.

Falando sob anonimato, as autoridades disseram que sua decisão de não fazer uma oferta dramaticamente nova refletia, em parte, ceticismo de que o Irã esteja pronto para fazer um acordo antes de sua eleição presidencial em 14 de junho.

O grupo, que inclui Grã-Bretanha, China, França, Alemanha, Rússia e Estados Unidos e é conhecido como P5+1, quer que o Irã faça mais para provar que seu programa nuclear é apenas para fins não militares e que permita inspeções mais amplas da Organização das Nações Unidas (ONU).

O Irã nega que esteja buscando armas nucleares, mas vem se recusando, nos últimos anos, a suspender seu enriquecimento de urânio, um processo que pode produzir combustível para reatores nucleares ou para bombas.

Israel, que é vista como a única potência nuclear no Oriente Médio e que enxerga um Irã nuclear como uma ameaça existencial, levantou a possibilidade de agir militarmente para parar o programa atômico iraniano.

Embora diga que quer resolver a disputa com o Irã pela diplomacia, o presidente norte-americano, Barack Obama, repetiu nesta terça-feira uma ameaça militar velada, dizendo que "faremos o que for necessário para evitar que eles obtenham uma arma nuclear".

EXPANSÃO

O centro da nova oferta revisa a demanda do ano passado para que o Irã pare de produzir urânio em alto grau, que envie qualquer estoque para fora do país e que feche sua instalação subterrânea de enriquecimento em Fordow, perto da cidade sagrada iraniana de Qom.   Continuação...