Obama homenageia funcionários mortos em massacre na escola de Connecticut

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013 20:27 BRST
 

WASHINGTON, 15 Fev (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, homenageou nesta sexta-feira com medalhas póstumas seis educadores que foram mortos no massacre de uma escola em Newtown, dizendo que eles deram suas vidas para proteger "os mais inocentes e indefesos".

Em outro sinal de seu esforço para conter a violência armada, o presidente consolou as famílias das vítimas na medida em que subiam ao palco na Casa Branca e homenageou os quatro professores e dois administradores que foram mortos no tiroteio devastador de 14 de dezembro.

A tragédia na escola primária Sandy Escola, no Estado de Connecticut, provocou pedidos de todo o país para implementação de leis mais rigorosas para o controle de armas.

Apesar de Obama não ter feito nenhuma menção pública sobre o tema, a cerimônia solene aconteceu no momento em que defensores do porte de armas e seus partidários no Congresso resistem abertamente à aplicação de restrições.

Em privado, no entanto, Obama disse que havia garantido aos familiares que seu governo estava tentando trabalhar esse tema.

O presidente centrou seu discurso nas mulheres que perderam a vida no massacre e entregou as chamadas medalhas presidenciais dos cidadãos, que são a segunda honraria civil mais elevada na nação.

No ataque que deixou o país de luto, 20 crianças também foram assassinadas por Adam Lanza, de 20 anos.

Foram à escola naquela manhã sem "ter ideia" do que aconteceria pouco depois, disse Obama, repassando as ações dos educadores no dia da tragédia.

"E quando aconteceu, poderiam ter se refugiado, poderiam ter se focado na sua própria segurança, em seu bem-estar, mas não o fizeram... isso é o que estamos honrando hoje", afirmou.

Obama qualificou o dia do tiroteio como o pior de sua presidência e, desde então, tem pressionado por uma lei que controle a posse de armas, um direito consagrado na Constituição norte-americana.

(Reportagem de Matt Spetalnick e Margaret Chadbourn)