Netanyahu agradece papa por ter aprofundado laços cristãos e judeus

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013 17:54 BRT
 

JERUSALÉM, 18 Fev (Reuters) - O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, agradeceu o papa Bento 16 nesta segunda-feira por seus esforços em apoiar as relações frequentemente complicadas entre a Igreja Católica Romana e os judeus, incluindo sua visita à Terra Santa em 2009.

Aquela viagem, na qual o papa alemão prestou homenagem no principal memorial do Holocausto de Israel, foi vista por muitos judeus como expiatória por ele ter suspendido a excomunhão de um bispo que questionou a escala do genocídio nazista. Em outras ocasiões, ele visitou o campo de extermínio de Auschwitz e a sinagoga de Colônia.

O pontífice, que vai abdicar em 28 de fevereiro, também mudou uma oração latina para as missas na Sexta-Feira Santa feita por católicos tradicionalistas em 2008, deletando uma referência aos judeus e a sua "cegueira", mas ainda pedindo que eles aceitassem Jesus.

"Em nome do povo de Israel, gostaria de agradecê-lo por tudo o que fez em sua posição como papa em nome de reforçar os laços entre os cristãos e os judeus e entre a Santa Sé e o Estado Judeu", disse Netanyahu em uma carta a Bento 16, uma cópia da qual foi para a mídia.

"Também lhe agradeço por ter defendido bravamente os valores do Judaísmo e do Cristianismo durante seu mandato papal", escreveu o primeiro-ministro conservador.

"Não tenho dúvidas de que esses valores, que foram tão vitais para construir o mundo moderno, não são menos críticos para garantir um futuro de segurança, prosperidade e paz".

(Reportagem de Dan Williams)

 
O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pronuncia-se durante reunião do Conselho de Diretores da Agência Judaica em Jerusalém. 18/02/2013 REUTERS/Baz Ratner