Premiê da Tunísia não consegue formar novo gabinete

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013 18:48 BRT
 

TÚNIS, 18 Fev (Reuters) - Os principais partidos políticos da Tunísia não chegaram a um acordo sobre a formação de um gabinete apartidário para acalmar a turbulência desencadeada pelo assassinato de um líder da oposição, disse nesta segunda-feira o primeiro-ministro Hamadi Jebali.

Mas ele afirmou que continuarão os esforços para formar um governo apoiado pela maioria dos partidos no Estado norte-africano que começou a série de revoltas populares contra a ditadura no mundo árabe há dois anos.

A Tunísia voltou a ser tomada por protestos na semana passada depois que o líder da oposição secular Chokri Belaid foi morto a tiros diante de sua casa, em Túnis, desencadeando manifestações em massa em parte contra o governista partido islâmico moderado.

"A iniciativa de um gabinete de tecnocratas não recebeu consenso político completo e falhou ... Mas o trabalho continua com todos os partidos para formar um governo que seja acordado pela maioria dos partidos políticos", disse Jebali em entrevista coletiva.

Ele falou após uma reunião com líderes de partidos políticos seculares e seu próprio partido islâmico Ennahda, que negou qualquer envolvimento no assassinato do Belaid.

Jebali sugeriu um gabinete de tecnocratas para ajudar a restaurar a calma e guiar a Tunísia para eleições. Ele tinha ameaçado sair se a sua proposta fracassasse, mas nesta segunda-feira ele apenas disse: "Vou encontrar com o presidente amanhã (terça-feira) para discutir os próximos passos."

(Reportagem de Tarek Amara)