Tunísia busca novo premiê para escapar de crise política

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013 13:56 BRT
 

TÚNIS, 20 Fev (Reuters) - O chefe do principal partido islâmico da Tunísia disse nesta quarta-feira que ainda estava em busca de um nome para substituir o primeiro-ministro Hamadi Jebali, que anunciou sua renúncia, mas que espera que um novo governo de coalizão seja formado ainda esta semana para encerrar a crise política.

"Precisamos de um governo de coalizão com vários partidos políticos e tecnocratas", disse o chefe do partido Ennahda, Rached Ghannouchi, a jornalistas após reunião com o presidente Moncef Marzouki sobre a crise política da Tunísia.

Jebali, um alto funcionário do Ennahda, renunciou na terça-feira depois de não conseguir substituir um governo separado por animosidades entre seus aliados islâmicos e seus oponentes seculares.

"Temos de chegar a um acordo o mais rapidamente possível", disse Ghannouchi. "Espero que o novo governo seja anunciado esta semana."

Ghannouchi afirmou que o Ennahda, o maior partido na Assembleia Constituinte Nacional, não tinha decidido quem nomear para liderar o próximo governo, mas não deu mais detalhes.

"Amanhã vamos resolver o problema do nosso candidato a primeiro-ministro", disse o membro do Ennahda Abdellatif Mekki.

(Reportagem de Tarek Amara)

 
Rached Ghannouchi, líder do movimento islâmico Ennahda, principal partido islâmico da Tunísia, fala durante manifestação em Tunis, Tunísia. O chefe do principal partido islâmico da Tunísia disse nesta quarta-feira que ainda estava em busca de um nome para substituir o primeiro-ministro Hamadi Jebali, que anunciou sua renúncia, mas que espera que um novo governo de coalizão seja formado ainda esta semana para encerrar a crise política. 16/02/2013 REUTERS/Anis Mili