Presidente afegão expulsa forças especiais dos EUA de província

domingo, 24 de fevereiro de 2013 16:42 BRT
 

CABUL, 24 Fev (Reuters) - O presidente afegão, Hamid Karzai, deu às forças especiais dos Estados Unidos duas semanas para deixar uma importante província depois de ter sido descoberto que alguns soldados norte-americanos torturaram ou mesmo mataram pessoas inocentes, disse neste domingo um porta-voz do presidente.

A decisão de Karzai pode complicar ainda mais as negociações entre os EUA e o Afeganistão sobre a presença de tropas norte-americanas no país, com a maioria das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) deixando o país até o fim de 2014.

Ao falar em coletiva de imprensa em Cabul, Aimal Faizi, porta-voz do presidente, disse que moradores da província de Wardak apresentaram uma série de reclamações sobre as operações realizadas pelas forças especiais dos EUA e de um grupo de afegãos trabalhando com eles.

A decisão foi tomada em uma reunião de domingo do Conselho de Segurança Nacional do Afeganistão presidida por Karzai, disse o porta-voz.

"O Ministério de Defesa foi designado para garantir que todas as forças especiais dos EUA estejam fora da província dentro de duas semanas", disse ele.

O anúncio deste domingo vem dias depois de Karzai emitir um decreto proibindo todas as forças de segurança afegãs de usarem ataques aéreos da Otan em áreas residenciais, numa tentativa de reduzir as vítimas civis.

(Reportagem de Hamid Shalizi)