Confrontos tribais matam mais de 500 em Darfur, diz deputado

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013 20:25 BRT
 

CARTUM, 25 Fev (Reuters) - A disputa por uma mina de ouro na região sudanesa de Darfur já matou mais de 500 pessoas e destruiu 68 aldeias desde janeiro, disse um parlamentar na segunda-feira, elevando drasticamente a contagem do número de vítimas.

O caos toma conta da árida região do oeste sudanês desde 2003, quando rebeldes não-árabes pegaram em armas contra o governo de Cartum, dominado por árabes, acusando-o de negligenciar a população local.

Tribos árabes da região, muitas das quais foram armadas pelo governo para enfrentar a insurgência, passaram a se enfrentar em janeiro, disputando o controle de uma mina de ouro e de outros recursos.

A ONU havia dito anteriormente que mais de 100 pessoas foram mortas nos confrontos entre as tribos Bani Hussein e Rizeigat em Jebel Amer, Darfur do Norte.

Na segunda-feira, o deputado Adam Sheikha, que representa a região de El Sireaf - onde fica a mina disputada - disse a jornalistas que 510 pessoas já foram mortas e 865 ficaram feridas desde o início da onda de violência. É a primeira vez que um membro do Partido do Congresso Nacional (governista) oferece uma estimativa relativa a todo o período de confrontos recentes.

Ainda segundo ele, "15 mulheres foram estupradas, 68 aldeias foram completamente e outras 120 foram parcialmente queimadas". O parlamentar acrescentou que cerca de 20 mil famílias fugiram das suas casas e precisam de ajuda alimentar.

(Reportagem de Khalid Abdelaziz)