Juízes de crimes de guerra da ONU absolvem ex-líder do Exército iugoslavo

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013 14:33 BRT
 

HAIA, 28 Fev (Reuters) - Juízes de crimes de guerra da ONU determinaram nesta quinta-feira que o ex-chefe do Exército iugoslavo Momcilo Perisic é inocente das acusações de ter encorajado e ajudado a cometer atrocidades na Bósnia e na Croácia durante os anos 1990, e ordenaram sua libertação imediata.

Eles decretaram que Perisic, chefe do Estado-Maior do Exército iugoslavo, tinha fornecido apoio militar às forças do Exército da República Srpska (VRS), de etnia sérvia, na Bósnia, mas que não havia ordenado que cometessem crimes de guerra.

"O VRS se responsabilizou, entre outras coisas, por atividades de combate permitidas e não era uma organização puramente criminosa", disse Theodor Meron, presidente da câmara de apelações do tribunal de Haia.

"Embora o sr. Perisic possa ter tido conhecimento dos crimes do VRS, a ajuda que deu ao Exército iugoslavo era dirigida ao esforço de guerra geral do VRS e não aos crimes do VRS".

Rebeldes sérvios lutaram para conseguir um Estado de etnia sérvia na Bósnia entre 1992 e 1995, depois que muçulmanos e croatas da região votaram pela independência da federação Iugoslávia liderada pela Sérvia.

As forças sérvias cometeram alguns dos piores crimes na história europeia do pós-guerra durante a desintegração da Iugoslávia, incluindo o massacre de 8.000 homens e meninos muçulmanos em Srebrenica, e o cerco a Sarajevo, no qual mais de 10.000 civis morreram.

(Reportagem de Thomas Escritt)