Políticos são presos em NY por esquema de propina em disputa para prefeito

terça-feira, 2 de abril de 2013 16:32 BRT
 

NOVA YORK, 2 Abr (Reuters) - Um senador democrata estadual de Nova York foi preso nesta terça-feira e acusado de tentar comprar um lugar na chapa republicana para a próxima disputa eleitoral para a prefeitura da cidade, um esforço que os promotores disseram que fazia parte de um amplo escândalo de suborno e refletia a corrupção generalizada na política de Nova York.

Cinco outros políticos, três republicanos e dois democratas, também foram presos e acusados de aceitarem coletivamente mais de 100.000 dólares em propinas em reuniões feitas em estacionamentos, quartos de hotéis e gabinetes, segundo documentos da Justiça.

As autoridades descreveram o esquema --potencialmente, um dos maiores escândalos políticos a atingir Nova York em anos-- como uma tentativa de manipular a primeira eleição em aberto para prefeito da cidade em mais de uma década. Nova York irá escolher um novo prefeito em novembro, antes que o terceiro mandato de Michael Bloomberg termine no final do ano.

As acusações caem sobre o senador estadual Malcolm Smith, um democrata do Queens, que a Promotoria disse que pagou a conselheiros municipais (o equivalente ao vereador brasileiro) para marcar reuniões com importantes republicanos de Nova York que pudessem ajudar a colocá-lo na cédula de votação para prefeito.

Smith e o conselheiro municipal Daniel Halloran, um republicano do Queens, estão entre os seis políticos presos na manhã de terça-feira em ligação com o escândalo de propinas.

As acusações contra os seis incluem suborno, extorsão, escuta clandestina e fraude postal.

"De tempos em tempos surge a pergunta: quão comum é a corrupção em Nova York?" disse o promotor federal de Manhattan Preet Bharara em uma coletiva de imprensa no final da manhã. "Baseado nos casos que desvendamos e continuamos a desvendar, parece totalmente generalizada."

(Por Edith Honan e Jonathan Allen)