16 de Maio de 2014 / às 14:59 / 3 anos atrás

Cteep espera indenização para disputar novos empreendimentos de transmissão

SÃO PAULO (Reuters) - A Cteep, transmissora de energia do grupo colombiano ISA, informou nesta sexta-feira que mantém o posicionamento de não participar de leilões de transmissão até ter claro qual o valor de indenização adicional a receber por ativos antigos que tiveram a concessão renovada antecipadamente.

“Não é que não queremos participar, não temos condição financeira de participar, depende de conhecer a indenização”, disse o presidente da companhia, Reynaldo Passanezi, em teleconferência sobre resultados trimestrais da empresa.

Ele acrescentou que esse é o mesmo posicionamento no que diz respeito a investimentos em aquisições.

O diretor financeiro da empresa, Rinaldo Pecchio Jr., acrescentou que a companhia não tem planejamento para pagar imediatamente dividendos relacionados ao resultado do primeiro trimestre.

“A programação nossa é feita com base anual, temos um evento muito importante que é o recebimento da indenização da parcela restante e então isso faz com que a gente precise esperar...”, disse Pecchio.

Os executivos da Cteep reforçaram que devem entregar até o fim de junho o laudo com previsão de valores a receber por investimentos não amortizados em ativos antigos renovados, conforme já tinham informado em fevereiro.

O documento se refere à indenização por investimentos não amortizados em ativos existentes até maio de 2000 e deve ser entregue à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A partir da data de recebimento, a agência tem um prazo de 150 dias para dar uma resposta às empresas sobre aprovação ou não dos laudos.

“Acreditamos que até o fim do ano o valor possa ser definido pelo regulador”, disse o diretor de Empreendimentos da Cteep, Luiz Roberto Azevedo.

A Cteep já garantiu o recebimento de indenização pelos ativos de transmissão renovados e existentes a partir de maio de 2000, de cerca de 2,8 bilhões de reais.

A empresa divulgou na quinta-feira que teve um aumento de 20,4 por cento no lucro líquido do primeiro trimestre, para 85,5 milhões de reais, apresentando redução de custos e despesas operacionais.

O diretor financeiro da Cteep disse que a otimização de custos reflete a adaptação da empresa ao novo ambiente após a renovação das concessões. Segundo ele, é difícil afirmar que a empresa ainda terá muitas oportunidades para reduções adicionais de despesas.

O presidente da companhia disse que o objetivo é sempre preservar os resultados alcançados.

No primeiro trimestre, a Cteep reduziu custos e despesas operacionais em 24,1 por cento, para 137,4 milhões de reais, na comparação com mesmo período do ano passado.

Por Anna Flávia Rochas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below