27 de Maio de 2014 / às 20:18 / em 3 anos

Dólar sobe 0,75% ante real e volta a R$2,24, com Ucrânia e Ptax

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta terça-feira e voltou ao patamar de 2,24 reais depois de três semanas, com preocupações com a violência na Ucrânia levando os investidores a evitarem ativos de maior risco e diante da briga pela formação da Ptax do mês.

Mesmo assim, o movimento não foi suficiente para romper a banda informal de 2,20 a 2,25 reais, dentro da qual a moeda norte-americana vem oscilando desde o início de abril.

A divisa dos Estados Unidos subiu 0,75 por cento, a 2,2407 reais na venda, maior nível desde 5 de maio, quando ficou em 2,2468 reais. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1 bilhão de dólares.

“Vimos hoje um movimento de venda de ativos emergentes, estimulado pelo impasse na Ucrânia”, resumiu o gerente de operações do banco Confidence, Felipe Pellegrini.

Mais de 50 rebeldes pró-Rússia foram mortos em uma ofensiva sem precedentes de forças do governo ucraniano. A notícia vem após o recém-eleito presidente do país, Petro Poroshenko, prometer esmagar a revolta no leste de uma vez por todas.

O dólar subia contra moedas como o peso chileno, o rand sul-africano e a lira turca. No Brasil, analistas afirmaram que o impacto foi ampliado pela briga que antecede a formação da Ptax do mês, calculada pelo Banco Central e que serve de referência para diversos contratos cambiais.

“O pessoal aproveitou que o movimento (de alta do dólar) já estava maior e puxou o dólar a seu favor. Isso deve acontecer cada vez mais nos próximos dias”, acrescentou Pellegrini.

A valorização da divisa dos EUA veio apesar da constante atuação do BC. Boa parte do mercado avalia que as cotações atuais agradariam a autoridade monetária, pois não são inflacionárias e ao mesmo tempo não impactam as exportações.

Pela manhã, a autoridade monetária vendeu a oferta total de até 4 mil swaps cambiais, que equivalem a venda futura de dólares, com volume equivalente a 198,7 milhões de dólares. Foram 2,5 mil contratos para 1º de dezembro deste ano e 1,5 mil para 2 de fevereiro do próximo.

Em seguida, também vendeu a oferta total de swaps em leilão de rolagem. Até agora, foram rolados pouco mais de 45 por cento do lote total que vence no próximo mês, equivalente a 9,653 bilhões de dólares.

Após o fechamento, a autoridade monetária anunciou para quarta-feira a realização da oferta diária com até 4 mil contratos de swap para 1º de dezembro deste ano e 2 de fevereiro do ano que vem. E divulgou também o leilão de até 5 mil papéis para 1º de abril e 1º de julho de 2015 com objetivo de rolar swaps que vencem em 2 de junho.

No exterior, o dólar teve leve alta ante o euro após o número de encomendas de bens duráveis nos EUA subir mais do que o esperado em abril.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below