4 de Junho de 2014 / às 14:23 / em 3 anos

Mantega: IPI de veículos subirá, mas intensidade de alta será avaliada

Ministro da Fazenda, Guido Mantega, durante seminário realizado na Câmara dos Deputados, em Brasília. Mantega afirmou nesta quarta-feira que haverá aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos, mas que o tamanho da elevação dependerá da situação do setor automotivo antes da recomposição do tributo sobre o setor entrar em vigor. 29/04/2014. REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta quarta-feira que haverá aumento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre veículos, mas que o tamanho da elevação dependerá da situação do setor automotivo antes da recomposição do tributo sobre o setor entrar em vigor. Pelo cronograma atual, o IPI sobre veículos voltaria ao seu nível normal a partir de julho. “Teremos aumento do IPI sobre veículos, poderá ser pequeno ou não, vamos avaliar a situação do mercado”, disse o ministro a jornalistas. Na terça-feira, fonte do Palácio do Planalto que acompanha negociações do governo federal com montadoras afirmou à Reuters que o governo deverá elevar parcialmente as alíquotas do IPI sobre veículos a partir de julho, mas evitará que o imposto tenha recomposição integral.[ID:nL1N0OL0EV]

O setor automotivo atravessa fase de vendas fracas mesmo com o IPI em nível baixo. Em maio, a comercialização de veículos novos no país recuou 7,2 por cento na comparação anual, com os lojistas apostando em queda de mais de 3 por cento no ano como um todo, informou na terça-feira a entidade que representa as concessionárias (Fenabrave). [ID:nL1N0OK16D]

Mantega disse ainda nesta quarta-feira que o governo não deverá anunciar medidas de estímulo ao setor automotivo alegando que as montadoras têm que solucionar seus problemas setoriais, embora tenha ressaltado que o governo federal avalia medidas para aumentar a oferta de financiamento automotivo.“Estamos estudando maneira de melhorar o crédito para o setor, mas não é certo que teremos essa medida. O setor tem que andar com as próprias pernas.”

ENERGIA

O ministro comentou ainda que não vê necessidade de aumento nos aportes do governo para ajudar distribuidoras de eletricidade a equacionar custos mais altos com energia após o período de poucas chuvas no país. “No momento não vejo necessidade de novo aporte, mas observamos o dia a dia (das distribuidoras).”

Sobre a queda de 0,3 por cento da produção industrial em abril ante maio, Mantega disse que há variação grande nesse tipo de indicador e que é preciso aguardar o decorrer do ano para ver como o setor industrial vai se comportar. [ID:L1N0OL0L3]

Por Luciana Otoni, edição Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below