18 de Julho de 2014 / às 16:19 / 3 anos atrás

Grandes bancos vão consolidar caixas eletrônicos fora de agências

SÃO PAULO (Reuters) - Os maiores bancos do Brasil anunciaram nesta sexta-feira um novo acordo de acionistas para a empresa Tecnologia Bancária (TecBan), buscando consolidar seus caixas eletrônicos localizados fora de agências em terminais da Rede Banco24Horas.

O acordo envolve Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco e Santander Brasil, além de HSBC Brasil, Caixa Econômica Federal e Citibank. Os sete bancos são acionistas da TecBan.

Sob os termos acordados, os bancos substituirão em cerca de quatro anos parte de seus caixas eletrônicos fora de agências por terminais da Rede Banco24Horas, que são e continuarão sendo geridos pela TecBan.

Em teleconferência com jornalistas, o diretor-geral da TecBan, Jaques Rosenzvaig, afirmou que a companhia quer dobrar o número de caixas eletrônicos do Banco24Horas até 2020, com pelo menos 15 mil terminais adicionais, ante 15.300 ao fim do primeiro semestre.

Sem revelar investimentos no projeto, Rosenzvaig apontou que os bancos também contabilizaram 11.325 caixas próprios fora de agências na primeira metade do ano, acrescentando que o número de terminais é superior à demanda real em muitos locais.

Alguns desses terminais devem continuar operando de maneira individual por decisão estratégica das instituições, mas a TecBan assumirá "uma parte representativa" onde houver "atratividade econômica" para todos os acionistas, completou o executivo.

"Alguns lugares têm oito caixas eletrônicos - um do Banco24Horas e um de cada banco. Com a ampliação da rede compartilhada, nós vamos poder racionalizar e dar melhor serviço", disse Rosenzvaig.

"Três clientes que chegam vão poder usar quatro ou cinco Banco24Horas. E o excedente (dos terminais) poderá ser utilizado em vários locais", exemplificou.

As instituições financeiras ressaltaram que a entrada em vigor do novo acordo está sujeita a algumas condições suspensivas, incluindo a aprovação por autoridades regulatórias. Nenhum dos bancos divulgou estimativas de ganhos de eficiência com a operação e Rosenzvaig se recusou a comentar o assunto.

Em 2013, o Banco24Horas registrou 954,8 milhões de transações de um total de 1 bilhão de operações feitas em caixas da TecBan.

A companhia, que também possui outras três unidades de negócios - ATMManager, Compartilhamento de Redes e Switch Interbancos - viu a receita bruta crescer cerca de 22 por cento em 2013, a 1 bilhão de reais, com o lucro líquido avançando 68 por cento ante igual período do ano anterior, a 72,3 milhões de reais.

Questionado sobre alterações societárias no novo acordo, o diretor-geral da TecBan se recusou a falar a respeito durante teleconferência. Ele acrescentou que uma eventual abertura de capital da companhia na bolsa não está "na agenda" no momento.

Até o fim do ano passado, o Itaú Unibanco aparecia no relatório anual da TecBan como maior acionista da empresa, com participação de 25,9 por cento. O Santander era o segundo mais relevante (20,8 por cento), seguido por Bradesco (16,3 por cento) e Banco do Brasil (13,5 por cento). Os demais acionistas possuíam participação inferior a 10 por cento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below