28 de Julho de 2014 / às 21:29 / 3 anos atrás

JBS reduz distância para BRF após aquisições em aves no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - Aquisições de unidades de aves pela JBS, maior processadora de carnes do mundo, elevaram a fatia da empresa no mercado brasileiro, reduzindo a distância para a líder BRF.

Mas esse avanço da JBS --um novo passo foi dado nesta segunda-feira-- ainda não é capaz de abalar a posição da BRF como principal empresa em carne de frango no país, avaliou analista do setor.

“Aumentando o share (participação), a JBS certamente se coloca como competidor mais representativo no mercado..., mas a empresa ainda terá que se organizar bastante em aves e suínos para chegar a competir com força com a BRF”, avaliou a analista da consultoria Agrifatto, Lygia Pimentel.

A JBS anunciou nesta segunda-feira acordo para comprar os negócios de aves da norte-americana Tyson Foods no Brasil e no México por 575 milhões de dólares, em mais um lance na expansão da sua carteira de ativos neste segmento, após a aquisição recente do grupo local Céu Azul.

A JBS atualmente conta com uma capacidade de abate diário de entre 4,5 milhões a 4,6 milhões de aves, que deve subir a quase 5 milhões com a incorporação da divisão de aves da norte-americana Tyson no país, informou uma fonte com conhecimento da operação, que pediu para não ser identificada.

A BRF, a maior exportadora de carne de frango do mundo, conta atualmente com uma capacidade de abate diário de aproximadamente 7 milhões de frangos no Brasil.

AVANÇO NO SETOR

A JBS iniciou sua operação no segmento de aves no Brasil por meio do arrendamento dos ativos da Frangosul em 2012, o que elevou em 15 por cento sua capacidade global de abates. Mas, na época, o negócio tinha o mercado externo como foco.

Em 2013, a JBS adquiriu a Seara Brasil, expandindo suas operações de frangos e suínos no país e acirrando a competição no mercado doméstico.

A incorporação da Seara também elevou a JBS à posição de maior processadora de frangos do mundo, com capacidade de processar 12 milhões de aves por dia, contando com ativos nos Estados Unidos.

Em conversa recente com a Reuters, o diretor de Relações com Investidores da JBS, Jeremiah O‘Callaghan, disse considerar que este setor tem espaço para consolidação.

“Vejo este mercado agora parecido com o de bovinos algum tempo atrás, quando frigoríficos tiveram dificuldades, entraram em recuperação (judicial) e depois passaram por uma consolidação”, disse o executivo.

A avicultura brasileira sofreu forte abalo em 2012, quando o salto nos custos com insumos e uma restrição levou a demissões e deixou algumas empresas do setor em dificuldades financeiras.

Por Fabíola Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below