7 de Agosto de 2014 / às 13:12 / em 3 anos

Conab vê alta na produção de açúcar do Brasil em 14/15; etanol recua

Colheita de cana-de-açucar em Maringá, no Paraná. 13/05/2011. REUTERS/Rodolfo Buhrer/La Imagem

SÃO PAULO/BRASÍLIA (Reuters) - A produção de açúcar do centro-sul do Brasil em 2014/15 foi estimada nesta quinta-feira em 34,59 milhões de toneladas, ligeira alta na comparação com a produção registrada na temporada passada, de 34,42 milhões de toneladas, apontou a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), em seu segundo levantamento de safra.

O leve aumento na produção do maior produtor global da commodity deve ocorrer, segundo a Conab, apesar de uma safra menor de cana, estimada em 599,65 milhões de toneladas, ante 602,1 milhões de toneladas na temporada passada.

Já a produção de etanol deverá cair para 25,56 bilhões de litros, ante 26 bilhões de litros da safra 2013/14.

A Conab revisou para baixo as previsões de produção de açúcar, etanol e de cana, na comparação com o primeiro levantamento divulgado em abril, após à severa seca registrada no início do ano.

“Na região centro-sul, as adversidades climáticas ocorridas nas lavouras de cana-de-açúcar em algumas regiões durante o período de desenvolvimento impactaram diretamente as produtividades esperadas”, disse a Conab.

Os números da Conab para o centro-sul, que responde por cerca de 90 por cento da safra do Brasil, estão bem superiores às projeções da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que representa o setor.

No início da semana, o diretor técnico da Unica, Antonio de Padua Rodrigues, disse que a moagem de cana do centro-sul do Brasil deve ficar entre 40 milhões e 50 milhões de toneladas abaixo da safra anterior, que foi de 596,9 milhões de toneladas, por influência da seca que afetou canaviais no início do ano.

Padua disse ainda que a produção de açúcar no centro-sul deve ficar entre 2 milhões e 2,5 milhões de toneladas abaixo do ciclo anterior, que foi de 34,3 milhões de toneladas.

Questionado sobre a diferença entre os números da Conab e da Unica, o representante do ministério para o setor de cana e agroenergia, Cid Caldas, disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira que técnicos do governo vão a “todas as unidades produtoras e a Unica não faz esse trabalho”.

Ele disse ainda que houve melhoria das condições climáticas em julho para a cana de São Paulo, Estado que responde por mais de 50 por cento da safra nacional.

Por Roberto Samora e Silvio Cascione

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below