18 de Agosto de 2014 / às 20:54 / em 3 anos

Ibovespa fecha na máxima em 3 semanas após Datafolha sobre corrida presidencial

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa abriu a semana em alta, após pesquisa Datafolha reforçar a perspectiva de segundo turno na eleição presidencial de outubro e adicionar incerteza à liderança da presidente Dilma Rousseff na disputa.

O vencimento dos contratos de opções sobre ações influenciou o pregão pela manhã por causa do efeito da Petrobras, com séries de opções de compra dos papéis da estatal entre as mais líquidas do exercício.

O Ibovespa subiu 1,05 por cento, a 57.560 pontos, maior patamar de fechamento desde 28 de julho, de 57.695 pontos. O volume financeiro do pregão somou 10,06 bilhões de reais, inflado pelo exercício de opções.

Levantamento Datafolha mostrou Marina Silva (PSB) com empate técnico na corrida presidencial com Aécio Neves (PSDB) no primeiro turno e com Dilma (PT) no segundo turno, nas duas situações à frente dentro da margem de erro. Foi a primeira pesquisa eleitoral após a morte de Eduardo Campos.

Para a equipe da Rosenberg Consultores Associados, “estão praticamente zeradas” as chances de Dilma vencer no primeiro turno. E isso parece ter dado ânimo a parte dos investidores.

“O pior caso mesmo (para o mercado) é a Dilma ganhando”, disse o gestor de uma admnistradora de recursos no Rio de Janeiro, acrescentando que Marina também é vista como uma aposta que pode dar certo.

“Há essa percepção, pois a corrente da possível equipe econômica da Marina, com André Lara Resende e Eduardo Gianetti, são de pessoas mais liberais, com viés ‘pró mercado’. Mesmo que haja um certo risco político, de alianças e ideais, principalmente na questão ambiental, a questão de política econômica estaria bem direcionada”, argumentou.

Em nota a clientes, a equipe do HSBC disse acreditar que “a política macroeconômica seria semelhante com qualquer candidato da oposição e que a maior diferença entre os dois seria sobre a regulação de setores da economia com maior impacto ambiental”.

OPÇÕES

A repercussão à pesquisa levou o Ibovespa a subir mais de 1 por cento logo após a abertura, mas o índice perdeu fôlego com operações relacionadas ao vencimento de opções na primeira etapa, que afetaram as ações da Petrobras.

Opções de compra de preferenciais da Petrobras responderam pelas séries mais líquidas do exercício, e alguns agentes que exerceram a opção passaram a vender o papel, que chegou a reverter os ganhos iniciais. Com o fim do exercício, as ações voltaram a subir, fechando em alta de 1,69 por cento.

No plano corporativo, TIM Participações avançou, após notícia de que sua controladora Telecom Italia prepara oferta de até 7 bilhões de euros para superar a proposta da espanhola Telefónica na corrida para adquirir a GVT, de acordo com reportagem da Bloomberg.

JBS voltou a subir forte, após aumentar na sexta-feira a previsão de captura de sinergias com aquisição da Seara para 1,5 bilhão de reais. O Deutsche Banke elevou a recomendação da ação para “compra”.

Também avançaram a ação da BM&FBovespa, que começou as atividades da nova clearing integrada.

O início da semana ainda trouxe a segunda prévia do Ibovespa, que deixou de fora a mineradora MMX, enquanto outras alterações indicadas na primeira prévia foram mantidas, como a saída de Brookfield Incorporações e a entrada de Marcopolo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below