10 de Setembro de 2014 / às 14:03 / em 3 anos

Presidente da TIM não vê necessidade de concentração no mercado brasileiro

BRASÍLIA, 10 Set (Reuters) - O presidente da TIM Participações, Rodrigo Abreu, disse que o Brasil não tem uma “necessidade” de maior concentração no mercado de telecomunicações.

Fachada de uma loja da TIM no Rio de Janeiro. 20/08/2014. REUTERS/Pilar Olivares

“Seria ingênuo imaginar que não haja uma tendência de concentração, mas isso não é uma necessidade de concentração”, disse ele, durante evento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) nesta quarta-feira.

O mercado brasileiro tem vivido, nas últimas semanas, um forte movimento de consolidação, com a possibilidade de compra da GVT pela Telefónica e o anúncio da Oi, que contratou o BTG Pactual para preparar uma oferta pela TIM.

Na terça-feira, o presidente da Claro, Carlos Zenteno, confirmou que o controlador da empresa, o grupo mexicano América Móvil, foi sondado pelo BTG para participar da operação.

Abreu disse que o mercado brasileiro tem uma escala com capacidade de suportar um número razoável de concorrentes.

Por Leonardo Goy

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below