12 de Setembro de 2014 / às 12:58 / em 3 anos

Rússia teme sanções sobre refinarias e prevê escassez de gasolina

MOSCOU (Reuters) - Qualquer nova sanção do Ocidente que tenha como alvo o fornecimento de tecnologia para a modernização de refinarias de petróleo na Rússia pode ocasionar falta de gasolina, disse um representante do ministério de Energia russo.

As mais recentes sanções do Ocidente, impostas nesta sexta-feira, tiveram como alvo tecnologia para a exploração de petróleo no Ártico russo e projetos de óleo de xisto.

Yury Zolotnikov, um subchefe do departamento de refino de óleo, disse que seu ministério já previa a falta de gasolina no ano que vem e em 2016, com a Rússia em um “perigoso equilíbrio” de produção, apenas marginalmente maior do que o consumo.

“Até agora, não houve tais sanções, mas elas obviamente podem criar problemas (para a modernização de refinarias”, disse Zolotnikov em uma entrevista.

Sanções limitaram a capacidade de companhias russas de captar recursos em mercados de capitais ocidentais e prejudicaram a Rosneft, maior produtora de petróleo russa, que já teve que realizar demissões por conta das quedas de produção.

A Rússia é particularmente dependente do Ocidente para componentes catalisadores, equipamento de refino e turbinas a gás, o que significa que o complexo trabalho de modernização de refinarias para melhorar a qualidade do combustível é visto como quase impossível sem o acesso às especialidades ocidentais.

A Rosneft precisa investir mais de 21 bilhões de dólares anualmente até 2017 para operar novos campos e atualizar refinarias. A empresa disse na semana passada que planejava substituir todas as importações de equipamento e tecnologia do Ocidente por conta das sanções.

Em maio, o ministro de Energia, Alexander Novak, pediu ao presidente Vladimir Putin que aumentasse o financiamento para produtores domésticos, considerando que um quarto de todo o equipamento utilizando na melhoria da produção de petróleo era importando. Os esforços de modernização, segundo estimativas, devem custar 55 bilhões de dólares nesta década.

Zolotnikov disse que as refinarias russas são incapazes de aumentar consideravelmente a produção nos próximos dois anos, o que pode ocasionar falta de gasolina. Ele acrescentou que o número cada vez maior de acidentes e trabalhos de manutenção rotineira em refinarias também indicam problemas de abastecimento.

De acordo com dados apresentados por ele, a produção de gasolina nos graus 3, 4 e 5 na Rússia deve chegar a 38 milhões de toneladas em 2014, e chegaria a apenas a 38,3 milhões em 2015 e 38,8 milhões em 2016.

Por Olesya Astakhova

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below