6 de Novembro de 2014 / às 00:43 / 3 anos atrás

Petrobras diz que orientação do Conselho tem sido por manutenção de preços

SÃO PAULO (Reuters) - A Petrobras afirmou na noite desta quarta-feira que a orientação do seu Conselho de Administração tem sido pela manutenção dos níveis de preços da gasolina e do diesel, segundo um comunicado de esclarecimento de notícias veiculadas na imprensa.

A estatal ainda reiterou uma informação divulgada na terça-feira de que, até o momento, não há data ou percentual definidos para reajuste no preço da gasolina e do diesel.

Na terça-feira, quando o Conselho se reuniu por várias horas, havia forte expectativa do mercado de que um aumento de preços fosse anunciado, o que acabou não ocorrendo.

A Petrobras não explicou na nota desta quarta-feira por que o Conselho tem orientado a manutenção dos preços dos combustíveis. A estatal acumula perdas bilionárias ao longo de 2014 e dos últimos anos devido à defasagem das cotações de venda no mercado interno na comparação com os valores internacionais, em meio a volumosas importações.

Mas, recentemente, com a acentuada queda do petróleo e o impacto do valor da commodity na cotação dos combustíveis no exterior, a defasagem do preço foi sendo reduzida e, no caso da gasolina, até chegou a deixar de existir.

O Conselho, entretanto, é presidido pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, representante do sócio controlador, o governo, que com um reajuste de combustíveis correria o risco de não cumprir a meta de inflação neste ano, que já está rondando acima do teto no acumulado de 12 meses.

A estatal destacou em nota que o reajuste dos combustíveis é assunto de competência da Diretoria Executiva, observando-se a política de preços aprovada pelo Conselho de Administração em 29 de novembro de 2013.

Em conformidade com esta política, durante as reuniões de Conselho Administração, a Diretoria Executiva apresenta aos conselheiros os indicadores que servem de balizamento para eventuais ajustes nos preços, explicou a estatal, acrescentando que "a orientação do CA (Conselho) tem sido pela manutenção dos níveis de preços".

NOVA REUNIÃO

A nota de esclarecimento afirmou ainda que está agendada uma nova reunião do Conselho de Administração para o próximo dia 14 de novembro, cuja pauta prevê a apresentação das Demonstrações Financeiras do 3º trimestre de 2014.

A Petrobras disse ainda que "não procede a informação que a PriceWaterhouseCoopers (PWC) haveria se negado a aprovar as Demonstrações Financeiras da companhia", em meio a denúncias de corrupção levantadas pela operação Lava Jato, da Polícia Federal.

"Neste momento, os trabalhos de auditoria independente da PWC estão em andamento", afirmou.

No fim de outubro, a petroleira contratou duas empresas independentes para investigar as denúncias feitas pelo ex-diretor Paulo Roberto Costa, preso na operação da Polícia Federal.

Reportagem de Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below