2 de Fevereiro de 2015 / às 19:03 / 3 anos atrás

Com menos exportações, Brasil tem déficit comercial de US$3,174 bi em janeiro

BRASÍLIA (Reuters) - A balança comercial brasileira começou 2015 no vermelho, ao registrar déficit de 3,174 bilhões de dólares em janeiro, com destaque para os menores embarques de produtos básicos.

No mês passado, as exportações somaram 13,704 bilhões de dólares. Pela média diária, que ficou em 652,6 milhões de dólares, houve queda de 17,9 por cento ante dezembro e de 10,4 por cento sobre um ano antes, informou o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Esta foi a menor média diária para janeiro desde 2010.

As exportações de produtos básicos caíram 19,7 por cento pela média diária em janeiro sobre dezembro, com destaque para carnes e minério de ferro --cujos preços recuaram 3,6 por cento na comparação mensal mas, em 12 meses, já caíram 49 por cento.

Já as importações somaram 16,878 bilhões de dólares em janeiro, ainda segundo o ministério. Neste caso, a média diária ficou em 803,7 milhões de dólares, alta de 2,8 por cento sobre o mês anterior e queda de 12 por cento sobre um ano antes.

Segundo o secretário de Comércio Exterior da pasta, Daniel Godinho, o crescimento das importações ocorreu porque as empresas começaram a repor os estoques. Pela média diária, as importações de bens de capital subiram 17,8 por cento em janeiro sobre dezembro.

"Janeiro é um mês tradicionalmente deficitário, em função da fraca atividade econômica do período", afirmou Godinho a jornalistas.

O resultado de janeiro veio em linha ao esperado pela mediana dos especialistas consultados pela Reuters, com projeção de déficit de 3 bilhões de dólares.

Em janeiro de 2014, o Brasil havia registrado déficit comercial recorde da ordem de 4 bilhões de dólares, com forte aumento das importações de bens de consumo.

POR ENQUANTO

Segundo o secretário, "por enquanto" há a expectativa de que a balança comercial encerre 2015 com saldo positivo, sem revelar números, e que não haverá meta de exportações neste ano. Existem desafios no cenário externo, com fraca atividade, baixos preços de commodities e devido ao comportamento da atividade de países importantes para a balança comercial brasileira, como a China, acrescentou Godinho.

"Os fatores que podem afetar positivamente a balança são o câmbio num patamar acima do registrado nos últimos anos e o crescimento da economia norte-americana, que pode puxar as exportações brasileiras de manufaturados", acrescentou.

Em 2014, o país registrou déficit comercial de 3,93 bilhões de dólares, o primeiro saldo negativo desde 2000, por conta dos baixos preços de commodities e cenário externo menos favorável.

A ausência de superávits na balança comercial foi uma das principais causas do rombo recorde de 90,948 bilhões de dólares nas transações correntes do país no ano passado, um dos pontos de vulnerabilidade do país.

Pesquisa Focus do Banco Central mostra que, pela mediana dos economistas consultados, a expectativa é de que a balança comercial encerre este ano com superávit de 5 bilhões de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below