10 de Fevereiro de 2015 / às 16:53 / 3 anos atrás

Mercado de combustíveis terá crescimento em 2015 após 2014 forte, diz ANP

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O mercado de combustíveis no Brasil “ainda” seguirá aumentando em 2015, apesar das expectativas pessimistas para o crescimento econômico do país e de preços mais altos da gasolina e do diesel, avaliou nesta terça-feira o superintendente de Abastecimento da reguladora ANP, Aurélio Amaral.

Posto de gasolina em Copacabana, Rio de Janeiro. 12/1/2015 REUTERS/Ricardo Moraes

Ele evitou fazer projeções para este ano, argumentando que o mercado é muito volátil, após o Brasil registrar um aumento expressivo no consumo em 2014.

Somando-se todos os combustíveis, as vendas no país em 2014 atingiram 144,575 bilhões de litros, uma alta de 5,3 por cento ante 2013, informou nesta terça-feira a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“Não dá para dizer se vai crescer da mesma forma este ano... a estimativa que a gente faz é que será um mercado ainda em crescimento, a ordem de grandeza é muito difícil de prever”, afirmou Amaral em entrevista a jornalistas.

A Petrobras anunciou em novembro do ano passado reajuste médio de 3 por cento nos preços da gasolina e de 5 por cento do diesel nas refinarias, e mais recentemente o governo estabeleceu nova tributação para gasolina e diesel, com impactos também para o valor do etanol, o que poderia diminuir o ímpeto do consumidor.

O aumento dos preços dos combustíveis no Brasil, com mercado regulado, ocorreu em momento de baixa nos valores do petróleo no mercado internacional, por conta de um excedente global da commodity.

Nos mercados internacionais, o preço do petróleo caiu mais de 50 por cento desde meados do ano passado.

Essa conjuntura fez com que a Petrobras passasse a vender diesel e gasolina com elevado prêmio ante os valores globais dos derivados, após anos de defasagem.

Segundo Amaral, no cenário atual, em que o diesel e a gasolina são vendidos no Brasil a preços mais altos do que no mercado externo, as importações de combustíveis por empresas que não a Petrobras tende a crescer em 2015.

O número de empresas autorizadas a importar e exportar combustíveis no Brasil cresceu em 21 unidades em 2014, para 333 no total, acrescentou.

DESEMPENHO FORTE EM 2014

As vendas de gasolina C no Brasil subiram 7,1 por cento em 2014 na comparação com o ano anterior, atingindo 44,364 bilhões de litros, informou nesta terça-feira a ANP.

A gasolina C inclui a mistura de 25 por cento de etanol anidro.

As vendas de diesel B (já com adição de biodiesel) subiram 2,5 por cento no ano passado, para 60,032 bilhões de litros, informou a autarquia em evento no Rio de Janeiro.

A ANP destacou um crescimento do consumo bem acima do aumento do PIB, que deve ter ficado praticamente estável em 2014, algo que vem ocorrendo nos últimos anos, com o crescimento da frota, entre outros fatores.

“O crescimento das vendas da gasolina teve um efeito surpreendente, a gente acha que ainda é reflexo dos incentivos que o governo fez para vendas de automóveis. A gente estima isso em um efeito inércia. A gasolina vem repetindo crescimento e demanda acelerada”, disse o superintendente.

O diretor da ANP Florival Carvalho ressaltou que, considerando o intervalo entre 2014 e 2011, o mercado teve crescimento superior a 18 por cento, em relação a um crescimento do PIB em torno de 4 por cento. “Ou seja, o consumo de combustíveis no país mostra forte vigor”, disse diretor.

Já as vendas de etanol hidratado, usado diretamente nos carros flex, subiram 10,54 por cento no ano passado, alcançando 12,994 bilhões de litros.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below