13 de Fevereiro de 2015 / às 18:58 / 3 anos atrás

GPA vê tendência positiva em hipermercados onde implantou plano de ação para reviver fluxo

SÃO PAULO (Reuters) - Depois de ver o fluxo de clientes em seus hipermercados cair no ano passado até julho, o Grupo Pão de Açúcar conseguiu encerrar o ano reduzindo essa perda em dois terços com a implantação em São Paulo de um plano de ação com o qual espera ainda colher frutos em 2015.

Segundo o presidente do GPA, Ronaldo Iabrudi, a companhia viu a tendência positiva ser sustentada em janeiro nos hipermercados que adotaram o plano na última metade do ano passado.

Entre as mudanças implementadas no âmbito desse processo, foram criadas diretorias gerais para supervisionar, separadamente, as bandeiras Extra, Pão de Açúcar e Minimercado.

Em encontro com jornalistas nesta sexta-feira, o presidente da maior varejista do país também citou iniciativas implementadas nos hipermercados paulistas para priorizar, por exemplo, maior volume de itens em promoção, foco no acompanhamento de preços em relação à concorrência e aumento de vendedores na área de eletroeletrônicos.

“No hiper tínhamos esse problema de fluxo então tomamos uma decisão de fazer o que a gente chama de uma renovação das ações comerciais”, afirmou Iabrudi.

O plano será agora implementado nos hipermercados do grupo no Rio de Janeiro em fevereiro, e nas regiões Nordeste e Centro-Oeste em março.

Em paralelo, o GPA começou a trabalhar na renovação de lojas, com quatro pilotos, sendo dois na cidade do Rio de Janeiro e dois em São Paulo, abarcando uma revisão completa do sortimento de produtos e do circuito feito pelos clientes nas lojas.

“Estamos testando nesses quatro e temos expectativa de ganho muito importante no fluxo. Isto comprovado, vamos fazer o lançamento ao longo de 2015 e numa velocidade tal para que a gente ainda tenha o resultado disso ao longo do ano”, disse Iabrudi.

A expectativa do GPA é, com as medidas, encerrar 2015 com estabilidade no fluxo de clientes nas lojas da bandeira Extra, em um ano de ambiente econômico considerado desafiador diante de inflação e juros altos.

Sobre a disposição dos clientes em gastar nesse contexto, Iabrudi pontuou que a companhia está confiante em melhorias em vendas ao longo do ano.

“O primeiro semestre de 2014 foi menos ruim, gradualmente se deteriorando, e o segundo semestre foi definitivamente muito difícil”, disse.

“A gente está vendo o contrário esse ano. A gente vai ter um primeiro semestre que não vai ser tão bom, e é semestre em que vamos estar implantando todas essas medidas no Brasil como um todo. A gente vai estar colhendo o fruto desse trabalho no segundo semestre”, afirmou Iabrudi.

O GPA encerrou 2014 com alta de 13,3 por cento na receita líquida, a 65,5 bilhões de reais. Na divisão multivarejo, que reúne Extra e Pão de Açúcar, a alta foi bem mais modesta, de 3,4 por cento, somando 26,4 bilhões de reais.

A companhia seguirá investindo em competitividade de preços no multivarejo, mantendo estratégia adotada em 2013 para impulsionar o tráfego em lojas, completou o diretor financeiro do GPA, Christophe Hidalgo.

As ações do GPA exibiam queda de cerca de 1 por cento perto do fim do pregão nesta sexta-feira, ante uma variação positiva de 2 por cento do Ibovespa.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below