22 de Fevereiro de 2015 / às 16:38 / 3 anos atrás

Síria confia em boa safra para não importar trigo

DAMASCO (Reuters) - O governo da Síria não deve importar trigo neste ano porque o abastecimento interno de grãos será impulsionado pelas chuvas constantes e por um controle mais firme das terras cultiváveis, disse um ministro do país. 

Hassan Safiyeh, Ministro do Comércio e de Proteção ao Consumidor, também revelou à Reuters que uma linha de crédito oferecida pelo Irã ao seu aliado, a Síria, não foi afetada pelo colapso mundial dos preços do barril de petróleo, e a importação de combustíveis permaneceu inabalada. 

O ministério de Safiyeh supervisiona a provisão de alimentos altamente subsidiados e combustível para a população síria em áreas de controle do governo, sendo assim um braço vital do estado em um país prestes a entrar em seu quinto ano de conflito.

O estado perdeu controle das bacias de petróleo e de largas áreas de terras cultiváveis, ambos tomados por insurgentes durante o conflito interno que vem devastando a economia do país. 

Com os Estados Unidos e alguns países da Europa favoráveis à saída do presidente Bashar al-Assad, Damasco tem recebido apoio crucial do Irã e da Rússia. 

Grandes áreas à norte e à leste --onde boa parte dos grãos sírios são cultivados e onde o seu petróleo é extraído-- foram também tomadas pelos radicais do Estado Islâmico. 

Safiyeh afirma que o estado tomou de volta algumas terras e que agora espera uma safra muito boa de trigo.

“Nós tivemos uma produção aceitável (no último ano), mas neste ano será abundante, porque as chuvas são excelentes e as áreas cultiváveis são muito mais amplas. Esse ano, não há temor quanto ao trigo”, disse Safiyeh.

No último ano, o governo teve de importar trigo de “estados amigos”, ele disse. “Eu espero que se essa safra está assim tão boa e tão forte, graças a Deus, em 2015 não precisaremos importar.” 

Ele se recusou a fornecer números sobre a importação de trigo ou a produção anual de trigo na Síria, dizendo que é um assunto estrategicamente delicado. 

Na temporada 2010/2011, por volta do início da crise, a produção de trigo na Síria estava estimada entre 3,3 e 3,6 milhões de toneladas, de acordo com relatório do Departamento de Agricultura do governo norte-americano. 

O governo, operando de acordo com um modelo econômico de inspiração socialista, provém à população artigos de primeira necessidade como açúcar, arroz, pão e óleo de cozinha a preços subsididados, além do combustível. 

O pão é vendido a cerca de um quarto do seu valor real. 

O estado, em janeiro, aumentou o preço do pacote de pão em 40 por cento, para 35 liras (ou 15 centavos de dólares). Safiyeh, no entanto, disse que os consumidores foram protegidos desse aumento devido a um subsídio mensal de 4.000 liras que Assad havia ordenado a ser pago aos funcionários públicos e aposentados.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below