22 de Abril de 2015 / às 13:07 / em 2 anos

Vale desafia preços e eleva produção de minério em quase 5% no 1º tri

Sede da Vale no centro do Rio de Janeiro. 16/12/2015 REUTERS/Pilar Olivares

SÃO PAULO (Reuters) - Um aumento na produção no complexo de Carajás, no Pará, ajudou a Vale a registrar entre janeiro e março sua maior produção de minério de ferro para um primeiro trimestre, apesar dos fracos preços da commodity.

A mineradora produziu 74,5 milhões de toneladas de minério de ferro nos primeiros três meses deste ano, alta de 4,9 por cento ante o mesmo período do ano passado, segundo relatório divulgado nesta quarta-feira.

Na comparação com o quarto trimestre de 2014, a produção de minério de ferro da Vale caiu 10,2 por cento, devido a “efeitos climáticos”.

“A produção ficou 7,3 milhões de toneladas abaixo do quarto trimestre de 2014 devido às piores condições climáticas em razão da sazonalidade”, disse a companhia.

Em geral, os meses chuvosos do verão atrapalham a operação das minas, que são a céu aberto.

A produção em Carajás, no Sistema Norte da mineradora, de 27,5 milhões de toneladas, foi também a melhor performance histórica para um primeiro trimestre, ficando 4,2 milhões de toneladas acima dos três primeiros meses do ano passado.

A Vale informou que em dezembro de 2014 deu início à operação da mina de N4WS, no Sistema Norte, extraindo e processando a primeira camada de minério com 64,7 por cento de teor de ferro e fósforo acima dos níveis normais.

A companhia disse esperar extrair minério de alto teor de ferro com menores níveis de contaminantes nessa mina no segundo semestre deste ano.

Por outro lado, a produção do Sistema Sul, onde a Vale produz mais de um quarto de seu minério, caiu 3,9 por cento na comparação anual, “devido às chuvas que atingiram a mina de Vargem Grande e à interrupção da planta de Jangada”.

O aumento da produção de minério pela Vale e por suas principais concorrentes, como as australianas BHP Billiton e Rio Tinto, é apontado como uma das principais causas do excedente global de oferta que derrubou os preços do produto nos últimos meses.

O minério de ferro está sendo negociado atualmente por cerca de 50 dólares por tonelada no mercado à vista chinês, depois de começar 2014 a mais de 130 dólares.

As ações da Vale tinham forte alta nesta quarta-feira, com os papeis ordinários sendo negociados com alta de mais de 8 por cento às 13h51. O Índice Bovespa avançava mais de 1 por cento

Profissionais da área de renda variável atribuíam a forte alta das ações ao aumento dos preços do minério de ferro nesta quarta-feira e na terça.

O volume total informado pela Vale exclui o minério adquirido de terceiros e a produção atribuível à mineradora Samarco, da qual a Vale é uma das sócias.

OUTROS PRODUTOS

Excluindo a produção atribuível à Samarco de 3,5 milhões toneladas, a produção de pelotas da Vale atingiu 11,39 milhões de toneladas no primeiro trimestre, queda de 2,2 por cento em relação ao quarto trimestre de 2014 e alta de 14,7 por cento ante o primeiro trimestre de 2014, devido ao ramp-up da usina de pelotização de Tubarão VIII.

A produção de níquel da Vale também apresentou recorde para um primeiro trimestre, de 69,2 mil toneladas, alta de 2,5 por cento ante o mesmo período do ano passado e queda de 6 por cento em relação aos últimos três meses de 2014.

“Os destaques da produção de níquel foram: o recorde da produção de óxido de níquel, a produção total da Vale Nova Caledônia (VNC), o recorde de produção com um único forno em Onça Puma e a evolução positiva do ramp-up de Long Harbour”, disse a mineradora, em seu relatório de produção.

Já a produção de carvão no primeiro trimestre foi de 1,7 milhão de toneladas, 5,1 por cento menor que o primeiro trimestre de 2014.

CUSTOS DE ENERGIA

A Vale informou ainda que a produção de ferroligas nas plantas de Minas Gerais foi encerrada no primeiro trimestre, porque a operação tornou-se economicamente inviável após o término dos contratos de energia existentes e aumento dos custos de energia.

“Como consequência, a produção de minério de manganês de Morro da Mina foi afetada”, disse a empresa.

A produção de ferroligas caiu 40,6 por cento na comparação ante o primeiro trimestre de 2014, para 27 mil toneladas.

Por Gustavo Bonato e Marta Nogueira; Reportagem adicional de Paula Arend Laier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below