1 de Dezembro de 2015 / às 13:26 / em 2 anos

Venda de ativos e participação da Renova Energia à SunEdison são canceladas

SÃO PAULO (Reuters) - A Renova Energia rescindiu acordos com a norte-americana SunEdison que previam a entrada da empresa em seu bloco de controle, por meio da compra da fatia da Light no negócio, bem como a segunda parte de uma venda de ativos à TerraForm Global, controlada pela SunEdison, por 13,4 bilhões de reais. Segundo comunicados ao mercado nesta terça-feira, os negócios foram cancelados pela SunEdison por "condições adversas de mercado".

A Renova, braço de investimentos em energia renovável da mineira Cemig, disse que com o cancelamento dos acordos vai adequar seu plano de negócios "visando ao redimensionamento dos investimentos futuros".

Já a Light, também controlada pela Cemig, afirmou que "continuará avaliando" a venda da fatia de 15,87 por cento que detém na Renova.

A Renova tinha fechado acordo em julho para que a SunEdison comprasse a fatia da Light na companhia. A operação foi cancelada sem ônus para as empresas, segundo a Renova.

As units da Renova chegaram a subir 2,5 por cento após a divulgação do fato relevante pela empresa, mas perderam força e mostravam estabilidade.

As ações da SunEdison acumulam queda de 90 por cento nos Estados Unidos desde meados de julho, com a companhia enfrentando questionamentos justamente devido ao agressivo plano de compra de ativos renováveis ao redor do mundo, que gerou preocupação sobre sua liquidez.

Com o cancelamento da entrada da SunEdison no controle da Renova, foi rescindido também contrato que previa a venda, pela Renova, de 2,2 mil megawatts em usinas à TerraForm Global por 13,4 bilhões de reais em ações.

O acordo seria a segunda fase de uma operação concluída em setembro, na qual a Renova vendeu 336 megawatts em usinas solares e pequenas hidrelétricas à TerraForm. A primeira parte da transação continua válida, assegurou a Renova.

A TerraForm Global, controlada pela SunEdison, é uma companhia de dividendos, que compra ativos renováveis em operação em diversos países com o objetivo de distribuir o lucro entre os acionistas.

A Renova Energia informou que, apesar do cancelamento de operações com a SunEdison, a joint venture anunciada entre as duas companhias para o desenvolvimento de projetos solares no Brasil continuará em vigor.

Já a Light disse que foi extinto contrato de opção de venda de ações da Renova Energia assinado entre a empresa e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDESPar), unidade de participações do BNDES.

O acordo de acionistas da Renova previa que, em caso de venda de fatia no controle da companhia, os demais acionistas também teriam direito de exercer opções de venda, o que havia levado o BNDESPar a celebrar contrato nesse sentido com a Light.

Por Luciano Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below