4 de Dezembro de 2015 / às 20:25 / em 2 anos

Bovespa cai mais de 2% com ajuste e forte queda da Petrobras

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em queda de mais de 2 por cento nesta sexta-feira, em sessão marcada por ajustes após os fortes ganhos da véspera e com as ações preferenciais da Petrobras despencando quase 6 por cento na esteira do recuo dos preços do petróleo.

O quadro político doméstico ainda conturbado seguiu adicionando volatilidade, enquanto números sobre a geração de postos de trabalho nos Estados Unidos endossaram o viés defensivo, uma vez que fortaleceram as expectativas de alta dos juros norte-americanos neste mês.

O Ibovespa caiu 2,23 por cento, a 45.360 pontos. Na quinta-feira, o índice de referência subiu mais de 3 por cento. O volume financeiro somou 5,97 bilhões de reais.

Na semana, o Ibovespa acumulou declínio de 1,11 por cento.

Para o Credit Suisse, o mercado local deve adotar dinâmica própria por “um bom tempo”, após o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), acatar pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff na quarta-feira.

O noticiário político não trouxe alívio nesta sexta-feira, com o ministro da Aviação Civil, Eliseu Padilha, filiado ao PMDB e estreitamente ligado ao vice-presidente Michel Temer, pedindo demissão.

Já Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou duas das três ações contra o acolhimento do pedido de abertura de processo de impeachment.

Nos Estados Unidos, o Departamento de Trabalho divulgou a criação de 211 mil vagas de emprego fora do setor agrícola em novembro, endossando expectativas de alta dos juros pelo Federal Reserve neste mês pela primeira vez em quase uma década.

DESTAQUES

=PETROBRAS encerrou com as preferenciais em baixa de 5,76 por cento, e as ordinárias em queda de 6,84 por cento, contaminadas pela queda dos preços do petróleo na sequência de reunião da Opep. O anúncio de reajuste no preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso industrial e comercial pela estatal a partir desta sexta-feira ficou em segundo plano nesta sessão, um dia após as ações subirem mais de 6 por cento.

=VALE fechou com os papéis ordinários em queda de 4,04 por cento, e os preferenciais com recuo de 2,73 por cento, na esteira de nova queda dos preços do minério de ferro na China, para abaixo de 40 dólares a tonelada. Também esteve no radar encontro da empresa com investidores em Londres, quando foi anunciado, entre outras coisas, que a mineradora planeja vender seus 11 navios mineraleiros Valemax remanescentes e alugá-los posteriormente. A Vale também disse que vê a demanda transoceânica de minério de ferro em até 1,4 bilhão t em 2016.

=BM&FBOVESPA caiu 2,03 por cento, após o Conselho de Administração da Cetip rejeitar a oferta feita pela bolsa para adquirir a empresa por 39,00 reais por ação, citando que o preço não representa valor justo. A corretora Brasil Plural avalia que a BM&FBovespa pode aumentar a oferta. Dados operacionais da bolsa paulista mais fracos em novembro ante outubro corroboravam as vendas. A ação da Cetip cedeu 1,2 por cento.

=ITAÚ UNIBANCO perdeu 2,22 por cento, também corrigindo fortes ganhos na quinta-feira e exercendo a maior pressão de baixa no Ibovespa, dada a relevante fatia que detém no índice.

=GERDAU desabou 9,63 por cento, maior queda percentual do Ibovespa. A siderúrgica está entre as empresas citadas em relatório aprovado na véspera da CPI do Senado que investiga denúncias de fraudes nos julgamentos do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) em processo da ordem de 1,2 bilhão de reais. GERDAU METALÚRGICA despencou 8,95 por cento.

=BR MALLS cedeu 4,30 por cento, em meio a relatório sobre o setor de shopping centers do Credit Suisse, que rebaixou a recomendação para a ação da empresa para “neutra” e cortou o preço-alvo a 14 reais. MULTIPLAN, que também teve a recomendação rebaixada para “neutra” e o preço-alvo reduzido a 49,50 reais, caiu 4,26 por cento.

=BTG PACTUAL, que não está no Ibovespa, fechou em baixa de 3,86 por cento, após assinar memorando de entendimentos com o Fundo Garantidor de Créditos (FGC) para acesso a 6 bilhões de reais em financiamento. Em carta a clientes, o presidente do Conselho de Administração do grupo, Persio Arida, disse que estava confortável com a liquidez do banco, mas que continuaria a buscar novas vendas de ativos.

=TEREOS INTERNACIONAL, também de fora do índice, saltou 129 por cento, a 51,69 reais, após sua controladora indireta Tereos Participations anunciar oferta pública unificada de aquisição de ações (OPA) ao preço de 65 reais por papel. “Os acionistas devem aceitar a proposta em vista do altíssimo prêmio proposto”, estimaram analistas do BTG Pactual, em nota a clientes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below