12 de Dezembro de 2016 / às 20:59 / 9 meses atrás

Bovespa cai mais de 2% por preocupações com cena política

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista fechou esta segunda-feira com seu principal índice em baixa, no menor patamar em pouco mais de dois meses, pressionado por preocupações com o cenário político, após vazamento da delação de um ex-diretor da Odebrecht citando o presidente Michel Temer e políticos próximos a ele.

O Ibovespa caiu 2,19 por cento, a 59.178 pontos, menor patamar de fechamento desde 30 de setembro (58.367 pontos).

O volume financeiro do pregão foi de 6,77 bilhões de reais, abaixo da média diária para o mês até sexta-feira, de 8,22 bilhões de reais, a inferior também à média diária para o ano, de 7,39 bilhões de reais.

A nova tensão política acontece às vésperas da crucial votação em segundo turno no Senado da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita o crescimento dos gastos públicos e quando se iniciam as discussões sobre a proposta de reforma da Previdência.

Desde sexta-feira, a temperatura política voltou a subir em Brasília com o vazamento de delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht Claudio Melo Filho, que citou recursos repassados a líderes peemedebistas, entre eles o próprio Temer, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), entre outros. Os políticos negaram qualquer irregularidade.

Além disso, Renan Calheiros foi alvo de nova denúncia pela Procuradoria-Geral da República nesta segunda-feira, acusado de receber propina e por lavagem de dinheiro no âmbito da operação Lava Jato, em mais uma complicação para o cenário político.

“A percepção do investidor estrangeiro para emergentes mudou depois da eleição de Donald Trump (à Presidência dos Estados Unidos) e esse cenário mais fraco ficou ainda pior com a situação política local”, disse o analista da corretora Clear Raphael Figueredo.

A cautela nesta sessão foi reforçada pela expectativa da decisão do Federal Reserve sobre a taxa de juros dos Estados Unidos, que acontece na quarta-feira.

Entre os destaques negativos ficaram as ações da Gerdau, que caíram 5,83 por cento. O Santander cortou a recomendação para os papéis da empresa para “manter”, ante “compra”.

O setor bancário também ficou entre os destaques de baixa, com as ações do Itaú Unibanco perdendo 4,13 por cento.

No lado positivo figuravam as ações da Petrobras, cujos papéis ordinários subiram 0,88 por cento, enquanto os preferenciais tiveram alta mais contida, de 0,13 por cento. O tom positivo da petrolífera veio na esteira dos ganhos nos preços do petróleo após a Organização dos Países Exportadores de Petróleo e alguns de seus rivais chegarem ao primeiro acordo desde 2001 para reduzir conjuntamente a produção.

Por Flavia Bohone

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below